BUSCAR
BUSCAR
Saúde
OMS eleva risco para epidemia de coronavírus no mundo para ‘muito alto’
Aumento contínuo do número de casos de Covid-19 e o número de países afetados nos últimos dias são motivo de preocupação
G1
28/02/2020 | 13:02

A Organização Mundial da Saúde (OMS) elevou o risco para epidemia de coronavírus no mundo para ‘muito alto’.

“Nossos epidemiologistas têm monitorado esses desenvolvimentos continuamente”, disse em entrevista coletiva o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus. “Agora aumentamos nossa avaliação do risco de propagação e do risco de impacto do Covid-19 para ‘muito alto’ em um nível global.”

O executivo reforçou que os casos em cada país são vinculados a pequenos grupos e disse que a agência de saúde da ONU não vê evidências de que o vírus esteja se espalhando livremente entre os países.

“O aumento contínuo do número de casos de Covid-19, e o número de países afetados nos últimos dias são motivo de preocupação”.

América

Brasil tem 132 casos suspeitos e um paciente confirmado, segundo levantamento desta quinta-feira (27) do Ministério da Saúde.

México confirmou o primeiro caso da doença, o segundo da América Latina. O paciente infectado é um homem de 35 anos que chegou da Itália e está isolado na capital do país.

Europa

Bielorrússia e País de Gales registraram os primeiros casos da doença. Considerando o primeiro registro no território galês, o Reino Unido tem, agora, 19 infecções de Covid-19, segundo o ministério da Saúde.

Itália em 650 casos confirmados da doença, 122 a mais que no último levantamento, segundo dados da agência de proteção civil italiana. Segundo levantamento desta sexta-feira (28), 17 pessoas morreram por causa da doença no país, o maior número na Europa. A maioria dos casos está na Lombardia, no norte: 403.

África

Nigéria confirmou o primeira caso o país na quinta-feira (27). O paciente, um italiano que trabalha no país e viajou de Milão a Lagos no dia 25 de fevereiro, está clinicamente estável e sem sintomas sérios, segundo o governo. É o terceiro caso no continente africano – os primeiros foram noEgito e na Argélia – e o primeiro na África subsaariana.

Oriente Médio

Irã tem 34 mortes confirmadas, 8 a mais que em levantamento anterior do governo; o país tem o número de mortes mais alto fora da China. São 388 casos no país.

Ásia

Azerbaijão confirmou o primeiro caso da doença. Segundo a agência de notícias “Interfax”, o paciente é um cidadão russo que chegou ao país pelo Irã.

O presidente da Mongólia foi posto em quarentena, como medida de precaução, após uma viagem de um dia à China, informou a agência estatal de notícias do país “Montsame”. A Mongólia ainda não confirmou nenhum caso da doença, e fechou as fronteiras com a China no fim de janeiro. As escolas ficarão fechadas até o fim de março e o fornecimento de carvão à China está suspenso até segunda-feira (2), segundo a CNN.

A China tem 78.959 casos confirmados de Covid-19, com 2.791 mortos.

A Coréia do Sul tem 2.337 infecções confirmadas até esta sexta-feira (28), informou o centro coreano de controle de doenças. Foram 571 casos registrados em 24 horas – número que ultrapassou a marca chinesa, de 327 novas infecções. 16 pessoas morreram no país por causa da doença – todas mulheres entre 60 e 90 anos de idade, segundo a agência de notícias Yonhap.

Em Singapura, o número total de casos subiu para 98, depois de mais duas confirmações nesta sexta-feira (28).

Oceania

Nova Zelândia confirmou o primeiro caso nesta sexta (28). O paciente está na casa dos 60 anos e chegou ao país na quarta-feira (26) em um voo vindo de Teerã e que passou por Bali, na Indonésia, de acordo com o ministério da Saúde do país.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.