BUSCAR
BUSCAR
Notas & Informes
União Brasil deve indicar o vice na chapa de Fábio Dantas, que hoje caminha para ser Ivan Júnior
Confira a coluna deste sábado, 25
Redação
25/06/2022 | 11:38

A coligação que terá Fábio Dantas (governador) pelo Solidariedade e Rogério Marinho (senador) pelo PL ganha mais força no avanço das conversas com o União Brasil. O ex-senador José Agripino Maia publicou foto com a família em São Paulo, onde também está acompanhando um tratamento particular de saúde da esposa, Anita Catalão Maia. Existe uma expectativa, que Agripino possa sentar nos próximos dias com os interlocutores da oposição.

Como já deixou claro que o objetivo do União Brasil em 2022 é fortalecer uma bancada em Brasília e ter representantes na Assembleia Legislativa, José Agripino sabe que tanto o Solidariedade como o PL têm nomes com o mesmo interesse. Mas, para o União Brasil ceder o maior tempo na TV e rádio, além de integrar uma coligação com o maior fundo partidário para seus candidatos, também terá que ter vantagens eleitorais. E o nome que Agripino hoje mais simpatiza para eleger deputado federal é Paulinho Freire, hoje presidente da Câmara Municipal de Natal.

Ligado ao deputado federal Benes Leocádio (União Brasil), o ex-prefeito de Assú, Ivan Júnior, que perdeu a disputa para prefeito por apenas cinco votos, em um eleitorado de quase 40 mil votos, surge como o preferido do Solidariedade. Ivan faz frente em Assu ao deputado George Soares (PV), ex-líder do Governo e aliado da governadora Fátima Bezerra (PT), na região do Vale do Açu. O deputado Nelter Queiroz (PSDB), que tem o apoio de Ivan Jr. em Assu já andou vazando que seu aliado topa a parada. Fábio Dantas espera subir e tentar chegar a 20% nas pesquisas, com a entrada do União Brasil.

Mossoró . Em troca do Ipem e de cargos na capital do Oeste, as ex-deputadas Larissa Rosado e Sandra Rosado, hoje na bandeira do União Brasil não vão apoiar Fábio Dantas e nem Rogério Marinho de jeito nenhum. Elas não tem pedido segredo em Mossoró. Sandra, anda até reclamando que o ex-senador José Agripino Maia está focando bases no interior para Paulinho Freire e Leonardo Rego, ex-prefeito de Pau dos Ferros e histórico agripinista no Alto Oeste.

Jurídico.
O advogado Erick Pereira, o mesmo que fez a campanha de reeleição do prefeito Álvaro Dias (PSDB), agora integra o time que vai defender a campanha do ex-prefeito Calos Eduardo Alves (PDT), ao Senado. Já a governadora Fátima Bezerra (PT) fechou com o advogado André Castro, o mesmo que fez sua campanha em 2018.

DataFolha.
Lula (PT) tem 53% dos votos válidos em sua mais recente pesquisa, realizada em 22 e 23 de junho. Para ganhar no primeiro turno, é necessário que o candidato some 50% dos votos válidos mais um. Votos válidos são aqueles que excluem, no cômputo geral, os brancos e nulos. Sob essa métrica, que é a utilizada pela Justiça Eleitoral para a contagem final do pleito, o presidente Jair Bolsonaro (PL) tem 32% das intenções de voto. Ciro Gomes, do PDT, marca 10%. O instituto ouviu 2.556 pessoas em 181 cidades no levantamento, contratado pela Folha e registrado no Tribunal Superior Eleitoral sob o número BR-09088/2022.

2º Turno.
Lula derrota seus principais adversários nas simulações de 2º turno feitas pelo Datafolha em sua nova pesquisa. Se enfrentar Bolsonaro, o petista ganha por 57% a 34%, números semelhantes aos levantados pelo instituto em 25 e 26 de maio (58% e 33%, respectivamente). Seguem sendo 8% os brancos e nulos. Nesta rodada, realizada nos dias 22 e 23 de junho, Lula tem 47% das intenções de voto para o primeiro turno, ante 28% de Bolsonaro e 8%, de Ciro Gomes (PDT).

De jeito nenhum.
Bolsonaro segue com a maior rejeição entre os candidatos ao Palácio do Planalto, segundo o Datafolha. O instituto, em sua pesquisa que ouviu 2.556 pessoas em 22 e 23 de junho, aponta que 55% dos brasileiros não votam no mandatário máximo de forma alguma no dia 2 de outubro. Bolsonaro é mais rejeitado por desempregados (66% nunca votariam nele), pretos (63%), nordestinos (62%), estudantes (62%), mulheres (61%), católicos (61%), jovens (60%) e os mais pobres (60%).

Fora Lula.
Os grupos mais refratários Lula, segundo o Datafolha são os empresários (61%), os mais ricos (57% entre quem ganha de 5 a 10 mínimos e 52% entre quem tem renda acima de 10 mínimos), pessoas com nível superior (46%), evangélicos (46%), espíritas (46%), moradores do Centro-Oeste (43%) e homens (41%).

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Sede: Rua dos Caicós, 2305-D, Nossa Sra. de Nazaré. Natal/RN | CEP: 59060-700
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.