BUSCAR
BUSCAR
Opinião
Álvaro Dias começa a enxergar que precisa se unir a Paulinho Freire para a sucessão em 2024
Confira a coluna de Opinião desta sexta-feira 25
Redação
25/08/2023 | 07:24

Álvaro Dias começa a enxergar que precisa se unir a Paulinho Freire para a sucessão em 2024

Se querem ter um nome forte para as eleições de 2024 em Natal, o centro e a direita precisam começar a articular uma única candidatura ao Palácio Felipe Camarão.

Em 2008, mesmo com bons índices de aprovação, o então prefeito Carlos Eduardo Alves, no comando do PSB, sigla que tinha eleito todos os prefeitos de 1996 até 2004, escolheu um nome que enfrentou por diversas vezes o sistema que estava no poder.

Na oposição, a então deputada estadual Micarla de Sousa crescia e ameaçava a prefeitura com o seu PV. Carlos brigou com o PSB e enterrou a candidatura do então deputado federal Rogério Marinho, que tinha apoio dos vereadores. Rogério tinha sido presidente da Câmara de Natal. Na época, a governadora Wilma de Faria, líder do PSB, topou a ideia do prefeito e juntos fizeram um “acordão”, lançando Fátima Bezerra (PT) com o apoio do MDB do então senador Garibaldi Filho. Deu Micarla no 1º turno.

Em 2024, parece que o prefeito Álvaro Dias (Republicanos) começa a ouvir os vereadores e se reaproxima do deputado federal Paulinho Freire (União Brasil). Os dois cumpriram agenda juntos em Brasília e mostraram sintonia política nas redes sociais. Paulinho foi ao presidente da Câmara, Arthur Lira (PP). Ainda levou Álvaro Dias em audiência com o ministro do Turismo, Celso Sabino, e o presidente da Embratur, Marcelo Freixo. Se o centro e a direta não se unirem, as pesquisas mostram uma polarização hoje de Carlos Eduardo (PSD) e Natália Bonavides (PT).

Álvaro Dias começa a enxergar que precisa se unir a Paulinho Freire para a sucessão em 2024
Álvaro Dias começa a enxergar que precisa se unir a Paulinho Freire para a sucessão em 2024. Foto: Elpídio Júnior/CMN

Frutos
Expofruit, a feira internacional de frutas que movimenta o mercado fruticultor do Rio Grande do Norte, reuniu em sua abertura a governadora Fátima Bezerra (PT) e o prefeito Allyson Bezerra (União Brasil). Com seu chapéu de couro, o prefeito circulou com a primeira-dama Cínthia Pinheiro e aliados. O deputado Neilton Diógenes também tirou fotos com Allyson. Fátima andava com a deputada Isolda Dantas (PT) e o vice-governador Walter Alves (MDB), além de auxiliares. O prefeito de Mossoró evitou fotos com a governadora. Fátima ainda publicou duas com o adversário político.

2024/2026
A deputada Isolda Dantas não morre de amores pela possibilidade de concorrer no próximo ano à Prefeitura de Mossoró. Ela sabe que teria muitas dificuldades em unir a oposição contra o prefeito Allyson Bezerra (União Brasil). Isolda quer ocupar o espaço que Mossoró e o Oeste perderam na Câmara dos Deputados. Caso Natália Bonavides seja eleita prefeita de Natal, Isolda quer ser federal em 2026. Isso ela agora não vai admitir de jeito nenhum.

Ajuda ou atrapalha?
A declaração do ex-senador José Agripino Maia lembrando do nome de Allyson Bezerra para o Governo do Estado em 2026 ajuda ou atrapalha a reeleição do prefeito em Mossoró? A capital do Oeste vai tentar reeleger novamente seu prefeito ou votar em um vice para administrar dois anos e oito meses? O último governador mossoroense foi Rosalba Ciarlini, que não fez um bom governo e voltou para ser prefeita. Depois, perdeu a reeleição para Allyson em 2020.

Plano B
Caso seu nome não caia na boca do povo potiguar em 2026, o prefeito Allyson Bezerra (União Brasil) tem um plano B. Fica no Palácio da Redenção até o fim do mandato e lança a esposa, a pedagoga Cínthia Pinheiro, para deputada. Os dois hoje sobrevivem de cargos públicos. E precisam pensar também no futuro. Depois de anos, o prefeito de Mossoró não tem um parente na Assembleia Legislativa e nem na Câmara dos Deputados.

Chamando a atenção
Depois de ter espalhado outdoors na capital, com declarada atuação em favor do turismo, o deputado Luiz Eduardo (Solidariedade) tem ocupado a tribuna em todas as sessões da Assembleia Legislativa. Novato, faz críticas contundentes ao Governo Fátima Bezerra. Virou ferrenhos adversário. Ontem, Luiz Eduardo lamentou a queda do RN no ranking do Centro de Liderança Política (CLP), que afere o desenvolvimento das federações. O Estado caiu de 20º para 23º no ranking geral, e de 6º para 8º no ranking regional.

Sonho
O vereador Luciano Nascimento está de saída do PTB, sigla pela qual foi eleito pela primeira vez. Já negociou com o PSD do ex-prefeito Carlos Eduardo Alves. Mesmo assim, não fará oposição até o fim da gestão do prefeito Álvaro Dias em Natal. Sim, também não quer brigas com a governadora Fátima Bezerra (PT). Mas, vai apoiar Carlos contra o PT de Natália Bonavides. E sabe os planos para 2025? Caso em janeiro Carlos assuma pela quinta vez, Luciano disputa a presidência da Câmara com apoio do futuro prefeito.

04 de Bolsonaro
A defesa de Jair Renan afirmou que o filho do ex-presidente da República está “surpreso” com a operação da Polícia Civil do Distrito Federal deflagrada ontem que levou o celular, um HD de computador e anotações em papel. Em nota, o advogado Admar Gonzaga disse que, apesar disso, seu cliente está “absolutamente tranquilo com o ocorrido”. O criminalista afirmou que foi recém-constituído como representante de Jair Renan e que, por isso, ainda não obteve acesso aos autos da investigação ou informações sobre os fundamentos da decisão judicial que autorizou as buscas.

Mira
A investigação mira um grupo suspeito de estelionato, falsificação de documentos, sonegação fiscal e lavagem de dinheiro. Os policiais cumpriram dois mandados de busca contra Jair Renan, um em Balneário Camboriú (SC), onde ele mora atualmente, e outro em Brasília. Foram apreendidos nos endereços vinculados a ele um celular, um HD e alguns papeis com anotações. O caso está a cargo da Delegacia da área de combate à corrupção e ao crime organizado da Polícia Civil do DF. A operação foi batizada de Nexum.

Defesa
O senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) defendeu o irmão e disse ver perseguição contra Bolsonaro. “Uma pessoa que não tem onde cair morta e está sendo investigada por lavagem de dinheiro. Não faz muito sentido isso, né? Eu espero que este critério seja usado para todos. Tem investigadores procurando pelo em ovo, mesmo sem ter nada, independente do sobrenome. Tomara que isso vire uma praxe agora. Ao que parece, é mais uma vez uma desenfreada em cima de Bolsonaro e todo seu entorno”, afirmou.

Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.