BUSCAR
BUSCAR
TV
No aniversário do Homem-Aranha, relembre as versões do herói
Homem-Aranha, personagem criado por Steve Ditko e Stan Lee, já teve diversas versões diferentes nos quadrinhos e no cinema
Estadão Conteúdo
10/08/2020 | 16:02

Peter Parker faz aniversário nesta segunda-feira (10). O personagem nasceu em 10 de agosto de 2001, provavelmente em referência à data em que chegou às brancas, em agosto de 1962, a 15ª edição da revista Amazing Fantasy, onde o herói fez sua estreia nos quadrinhos.

O Homem-Aranha, personagem criado por Steve Ditko e Stan Lee, já teve diversas versões diferentes nos quadrinhos e no cinema. Relembre algumas das principais fases do herói:

Oito braços

Entre setembro e novembro de 1971, a Marvel explorou uma das primeiras mudanças no visual do Homem-Aranha, com o herói tendo seis braços para replicar os oito membros de uma aranha. A história tinha roteiro de Stan Lee e Roy Thomas com arte de Gil Kane e Frank Giacoia.

Simbionte

Durante a primeira grande saga da Marvel nos quadrinhos, ‘Secret Wars’ (1984), que reuniu seus principais heróis pela primeira vez, o Homem-Aranha encontrou um alienígena que se uniu ao seu corpo e mais tarde daria origem ao vilão Venom.

Homem-Aranha Ciborgue

Após um combate com o Sexteto Sinistro, o Homem-Aranha ficou gravemente ferido e foi salvo por um cientista que implantou uma prótese mecânica em seu braço em uma história de 1992.

Homem-Aranha futurista

Em uma reinvenção futurista do Homem-Aranha, quem assume seu manto é Miguel O’Hara, que ganha poderes em 2099 por um acidade de laboratório com engenharia genética. O arco também é de 1992

Aranha Escarlate

O personagem Ben Reilly é um clone de Peter Parker que se tornou uma versão alternativa do Homem-Aranha, a Aranha Escarlate, em uma trama de 1994.

Trilogia de Sam Raimi

Tobey McGuire não foi o primeiro ator a encarnar o Homem-Aranha no cinema, mas as versões anteriores do herói no audiovisual (incluindo uma versão japonesa licenciada pela Marvel com todo o estilo “tokusatsu”, à moda de Ultraman e outros clássicos) não foram exatamente um sucesso. Já a trilogia de filmes dirigidos por Sam Raimi a partir de 2002 revolucionou a popularidade do personagem entre o público geral.

Homem-Aranha do passado

Assim como há uma versão futurista do herói, também há uma versão do passado: em 1602, o jovem Peter Parquagh é picado por uma aranha e usa seus poderes recém-adquiridos para defender a Londres elizabetana em uma série de quadrinhos de 2003 que recriou diversos heróis da Marvel em outros períodos históricos

Aranha de Ferro

Durante a saga Guerra Civil (2006), que opôs ideologicamente o Homem de Ferro e o Capitão América, Tony Stark dá a Peter Parker a armadura Iron Spider, que também apareceu no cinema em Vingadores: Guerra Infinita (2018).

Homem-Aranha Noir

Enquanto os EUA sofriam os efeitos da crise financeira de 2008, a série Spider-Man Noir (2009) colocou o herói na Grande Depressão americana como um pistoleiro que luta pela justiça em um cenário desolado.

Miles Morales

O jovem Miles Morales assumiu em 2011 o manto do Homem-Aranha e logo se tornou um dos principais personagens do universo Marvel, transportando os temas do herói, como bullying, adolescência e dificuldades do crescimento para a realidade de um jovem negro.

Duologia de Mark Webb

O ator Andrew Garfield viveu o Homem-Aranha nos dois filmes dirigidos por Mark Webb, reboot da franquia nos cinemas que não foi tão bem-sucedido quanto a versão anterior, com Tobey Maguire

Homem-Aranha de Tom Holland

Em 2017, Homem-Aranha: De Volta ao Lar trouxe Tom Holland como Peter Parker e, em Vingadores: Guerra Infinita (2018) e Vingadores: Ultimato (2019), o herói usou um uniforme que remente à Iron Spider dos quadrinhos.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.