BUSCAR
BUSCAR
Confira a coluna “Desenrolando a Língua” desta sexta-feira 5

05/03/2021 | 00:26

ACENDER – ASCENDER

É bom relembrar a diferença entre “acender” e “ascender”. De uso comum, “acender” significa incendiar, pôr fogo. Esse verbo não costuma causar desespero em que o emprega: “Pedro acendeu a fogueira”. Já “ascender” significa subir, elevar-se. Deve ser associado ao substantivo ascensão: “O clube ascende no campeonato”.

MULHER TODA-PODEROSA

Dia desses, um repórter se referiu a Kamala Harris como a “toda-poderosa”. A vice-presidente americana nunca foi “toda-poderosa”. Trata-se de um adjetivo composto. Nesse tipo de palavra, o primeiro elemento não varia. A mulher é “todo-poderosa”; “As mulheres são todo-poderosas”. A exceção é “surdo-mudo”, caso em que variam os dois elementos: “mulher surda-muda”, “mulheres surdas-mudas”.

PAULISTA – PAULISTANO

Os adjetivos referentes a países, estados, regiões, cidades ou localidades são conhecidos como adjetivos pátrios. É importante conhecê-los para evitar erros e construir frases mais concisas. “Paulistano”, por exemplo, refere-se àquele que nasce na cidade de São Paulo; o adjetivo relativo ao estado de São Paulo é “paulista”. Vamos ver outros, no mínimo, curiosos: “ludovicense” (São Luís); “barriga-verde” (Santa Catarina); “carioca” (cidade do Rio de Janeiro); “fluminense” (estado do Rio de Janeiro); “manauara” (Manaus); “tricordiano” (Três Corações); “soteropolitano” (Salvador).

ABRE ASPAS

O mais forte é aquele que sabe vencer a si mesmo. Provérbio chinês

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.