BUSCAR
BUSCAR
Opinião
Confira a coluna de Daniela Freire desta sexta, 30
Vivaldo Costa relembra e defende construção de anel viário que ligaria as cidades do Seridó
Daniela Freire
30/10/2020 | 05:40

O sonho voltou

A construção de um anel viário interligando todas as cidades do Seridó potiguar, uma obra que era um desejo de Wilma de Faria quando governadora do RN, foi relembrada e defendida nesta quinta-feira pelo deputado estadual Vivaldo Costa.

Projeto

“Wilma de Faria sonhou interligar todas as cidades do Seridó. Já existem as estradas principais, é preciso construir o anel ligando”, afirmou Vivaldo, que chamou atenção para o fato de que o projeto já existe desde a gestão Wilma, mas que não foi levado adiante.

Melhorias

De acordo com Vivaldo, o projeto traria como benefício a possibilidade de permitir uma distribuição mais rápida das atividades econômicas do Estado, que teriam maior facilidade de evacuação.

Unindo sai

O deputado fez um apelo à governadora Fátima Bezerra (PT) e ao Departamento Estadual de Estradas de Rodagens (DER) para que analise o projeto. Além disso, Vivaldo enfatizou que os ministros Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) e Fábio Faria (Comunicações) podem ser parceiros importantes na busca por recursos para viabilizar o projeto.

Gol de placa

Em mais um capítulo da guerra entre o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, e da Economia, Paulo Guedes, o potiguar levou vantagem nesta quinta-feira, quando o presidente Jair Bolsonaro lhe “rasgou” elogios depois de o titular da Economia tê-lo criticado, ao afirmar que a Febraban financia “ministro gastador para furar teto”, como narrou Mônica Bergamo.

Mil afagos

“Ninguém viu um ministro do Desenvolvimento Regional melhor do que Rogério Marinho”, afirmou Bolsonaro, que disse que o potiguar “vive pelo Brasil”. O presidente ainda prestou solidariedade a Marinho e agradeceu pela “confiança” e “empenho”, enquanto participava de evento no Maranhão.

Contabilizando

Um vídeo com os elogios feitos por Bolsonaro foi prontamente publicado nas redes sociais, por Rogério Marinho, que agradeceu ao presidente pelo reconhecimento. “Isso nos dá força para continuarmos firmes na missão que o senhor nos atribuiu. Estamos abraçando o Nordeste e o Brasil.
Vamos garantir que o desenvolvimento chegue para todos”, escreveu o ministro potiguar na postagem.

Saldo

Na quarta-feira, o deputado estadual Francisco do PT acompanhou a governadora Fátima Bezerra em Currais Novos. E ontem ele contou sobre a visita em sessão plenária na Assembleia Legislativa, ressaltando as melhorias e os investimentos que estão sendo feitos na Saúde no Seridó.

Positivo

Entre outras coisas, Francisco do PT citou a implantação da Ala das UTIs no Hospital Regional de Caicó e a UTI Neonatal instalada no Hospital Regional Doutor Mariano Coelho. E disse que o que foi realizado em termos estruturais na região salvou “mais de 500 pessoas” da Covid-19.

Salvos…

A revogação do decreto 10.531, do presidente Jair Bolsonaro, que inclui as unidades básicas de saúde (UBS) no programa de concessões e privatizações do governo, foi festejada pelo deputado Sandro Pimentel. “Quero registrar aqui a minha alegria ao saber que o presidente desistiu do decreto de privatização do SUS”, comentou.

…Pela pressão

“Mas ele não fez isso porque é bonzinho. Foi depois das reclamações da população que está morrendo”, ressaltou parlamentar, que destacou que “mais de 70% da população do Brasil depende única e exclusivamente do SUS”. “Um dos complexos de saúde mais avançados do mundo e não foi construído por esse governo”, explicou Sandro.

Sucesso

O Rio Grande do Norte é líder nacional em geração de energia eólica no Brasil, com mais de 4GW em potência instalada. E tem uma empresa potiguar se consolidando como fornecedora ao levar conectividade para os parques eólicos: a Interjato Soluções. “É um orgulho para uma empresa local atender o setor que tem tantas exigências de qualidade e que tem fornecedores de classe mundial”, comemorou Erich Rodrigues, CEO da Interjato.

Rápidas

“A decisão de compra é uma decisão que será tomada por quem assinar o cheque, e isso não virá de nós”, afirmou o presidente da Anvisa Antônio Barra Torres em entrevista ao UOL. Ele disse ainda que o órgão federal não participará de discussões sobre qual vacina contra a covid-19 possa vir a ser distribuída pelo Ministério da Saúde.

Atualmente, tanto a CoronaVac como a vacina de Oxford são candidatas ao posto, mas a indefinição vem inclusive sendo motivo de uma disputa política entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o governador de São Paulo João Doria (PSDB).

Na semana passada, Bolsonaro chegou a desautorizar o ministro Eduardo Pazuello, que tinha assumido um compromisso de compra de 46 milhões de doses da CoronaVac, vacina desenvolvida e testada pelo Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac. Por outro lado, a vacina que é desenvolvida pela Universidade de Oxford e será produzida pela Fiocruz, caso aprovada, receberá mais de R$ 1 bilhão do governo federal para o seu desenvolvimento.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.