BUSCAR
BUSCAR
Opinião
Confira a coluna de Alex Viana desta terça-feira 1º

01/12/2020 | 06:07

PREZADA, NÃO ESTOU À VENDA I
O ministro Fábio Faria (Comunicações) ironizou nesta segunda-feira 30 o novo emprego do ex-juiz e ex-ministro da Justiça Sergio Moro. Publicou em seu perfil no Twitter a frase dita por Moro à deputada Carla Zambelli (PSL-SP) quando lhe foi oferecida uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). “E a frase: ‘Prezada, não estou à venda’. Continua valendo?”

PREZADA, NÃO ESTOU À VENDA II
A postagem foi feita depois de Moro aceitar o convite de atuar como sócio-diretor na consultoria norte-americana Alvarez & Marsal. Ele assume o cargo nesta terça-feira 1º. Atuará na área de Disputas e Investigações. A empresa é a administradora judicial da Odebrecht, uma das companhias mais afetadas pela Lava Jato.

SIGILO QUEBRADO I
A Justiça Eleitoral do Distrito Federal autorizou a Polícia Federal a quebrar o sigilo dos e-mails de 3 hackers suspeitos de invadir o sistema do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Na decisão, a juíza Geilza Diniz, da 1ª Vara Eleitoral do Distrito Federal, também proíbe suspeitos de manterem contato entre si. A magistrada também ordenou a busca e a apreensão de documentos, roteadores de internet e dispositivos eletrônicos capazes de armazenar dados.

SIGILO QUEBRADO II
O ataque hacker foi realizado em 15 de novembro, data do 1º turno das eleições municipais. A ação expôs informações administrativas de ex-servidores e ex-ministros da Corte eleitoral. Em 16 de novembro, a PF abriu inquérito para apurar o caso. De acordo com a corporação, as investigações apontaram que o grupo é formado por brasileiros e portugueses, sendo liderado por 1 cidadão português.

ELIMINAR A ESQUERDA
O secretário de Comunicação Social da Presidência da República, Fabio Wajngarten, publicou uma longa análise na qual diz que os resultados das eleições municipais mostram que Jair Bolsonaro cumpre sua promessa de “eliminar a esquerda” no País. Para Wajngarten, o fato de o PT e outros partidos de esquerda terem obtido resultados modestos se deve ao trabalho de Bolsonaro para combater essas agremiações.

PRTB
O apoio do vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, a candidatos de seu partido, o PRTB, não foi suficiente para a eleição municipal. A sigla lançou 326 candidatos, mas elegeu apenas 5. Todos as vitórias foram em municípios com menos de 200 mil eleitores. Ao todo, o partido governará 35.391 eleitores.

SUB JUDICE
Depois do fim das eleições municipais, pelo menos 101 cidades brasileiras ainda dependem do aval da Justiça para confirmar os candidatos eleitos para prefeito ou se haverá 1 novo pleito. De acordo com a plataforma de resultados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), foram registradas 56 situações em que os mais votados no pleito foram enquadrados na Lei da Ficha Limpa. A norma impede que pessoas condenadas em 2ª Instância por órgãos colegiados sejam eleitas.

BLOQUEADO
O ministro Kassio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal, pediu destaque e interrompeu o julgamento de mais uma ação que discutiria se o presidente Jair Bolsonaro pode ou não bloquear usuários nas redes sociais. No último dia 16, o ministro adotou o mesmo procedimento e paralisou a análise de um processo sobre o mesmo tema, que estava pautado no plenário virtual da Corte.

O pedido de destaque foi apresentado no sábado, 28, um dia depois do julgamento ter sido iniciado na plataforma com o voto da ministra Cármen Lúcia, relatora do processo. Ela votou para obrigar Bolsonaro a desbloquear o jornalista e ex-candidato a vereador William de Lucca (PT). Segundo Cármen, o ato de bloqueio por parte do presidente é “antirrepublicano” e contraria os princípios da Democracia ao excluir do debate o cidadão que “não o adule” em seus comentários.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.