BUSCAR
BUSCAR
Tempo indeterminado
Assembleia Legislativa suspende trabalhos da CPI da Arena das Dunas
Interrupção aconteceu após a maioria dos deputados acatar um pedido feito pelo deputado Getúlio Rêgo, que alegou prejuízo com sessão virtual
Redação
10/06/2020 | 05:05

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte decidiu paralisar nesta terça-feira (9) os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que foi instalada no fim do mês passado para investigar o contrato do Governo do Estado com a administração da Arena das Dunas. A suspensão vale por tempo indeterminado, até que a Casa retome as sessões presenciais.

A interrupção dos trabalhos da CPI foi aprovada por 12 votos a 8. Por maioria, os parlamentares acataram um requerimento apresentado durante a sessão pelo deputado estadual Getúlio Rêgo (DEM), que argumentou que as reuniões da comissão por videoconferência prejudicam os debates.

Segundo Getúlio Rêgo, as sessões virtuais – adotadas há mais de dois meses por causa da pandemia do novo coronavírus – atrapalham a tomada de depoimentos das pessoas convocadas e afetam o trabalho da imprensa, que só pode acompanhar os trabalhos da CPI através da internet.

A suspensão dos trabalhos acontece um dia depois de a CPI fazer a sua segunda reunião. Na segunda (8), em reunião virtual, os integrantes da CPI decidiram convocar o controlador-geral do Estado, Pedro Lopes Neto, para prestar depoimento. Os deputados pretendiam solicitar informações sobre a auditoria da Control que encontrou irregularidades no contrato do Governo do Estado com a Arena das Dunas.

Idealizador da CPI e relator da investigação, o deputado estadual Sandro Pimentel (PSOL) protestou. “Não cabe ao plenário decidir sobre suspensão de CPI. É um instrumento da minoria. O que foi feito foi ilegal. Qual interesse que tem tudo isso? O que está por trás de todos esses interesses? O argumento da pandemia que não é. Se fosse, as sessões estariam suspensas e as reuniões das comissões estariam suspensas. Mas não estão”, afirmou o deputado.

O parlamentar sugeriu que vai à Justiça para tentar reverter a decisão. “Vamos tomar as providências legais. Não vamos admitir ser ceifados, atropelados e manobrados, como fomos”, complementou Sandro Pimentel.

A CPI foi instalada no dia 29 de maio. Na ocasião, os membros elegeram o deputado Coronel Azevedo (PSC) como presidente e Sandro Pimentel como relator. Além deles, a comissão especial tem como integrantes os deputados Isolda Dantas (PT), Allyson Bezerra (Solidariedade) e Tomba Farias (PSDB).

Votos:

A FAVOR de suspender a CPI

Albert Dickson (Pros)
Bernardo Amorim (Avante)
Galeno Torquato (PSD)
George Soares (PL)
Getúlio Rêgo (DEM)
Gustavo Carvalho (PSDB)
José Dias (PSDB)
Kléber Rodrigues (PL)
Nelter Queiroz (MDB)
Raimundo Fernandes (PSDB)
Tomba Farias (PSDB)
Vivaldo Costa (PSD)

CONTRA a suspensão da CPI

Allyson Bezerra (Solidariedade)
Coronel Azevedo (PSC)
Ubaldo Fernandes (PL)
Isolda Dantas (PT)
Francisco do PT
Eudiane Macedo (Republicanos)
Kelps Lima (Solidariedade)
Sandro Pimentel (PSOL)

ABSTENÇÃO

Ezequiel Ferreira (PSDB) – Presidente

AUSENTES

Cristiane Dantas (Solidariedade)
Hermano Morais (PSB)
Souza Neto (PSB)

Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.