BUSCAR
BUSCAR
Imunização
Vacina evitou mais de 40 mil mortes de idosos por Covid no país, diz estudo
Pesquisa é da UFPel (Universidade Federal de Pelotas) em parceria com a Universidade Harvard e o Ministério da Saúde
Poder360
18/06/2021 | 12:05

A vacinação contra a Covid-19 evitou, em 4 meses, a morte de mais de 40.000 pessoas acima dos 70 anos de idade no Brasil, de acordo com um estudo da UFPel (Universidade Federal de Pelotas) em parceria com a Universidade Harvard e o Ministério da Saúde, divulgado na quinta-feira 17.

Eis a íntegra, em inglês (341 KB).

 
Os pesquisadores analisaram as tendências de mortes por covid-19 e por causas não relacionadas ao coronavírus no período de 3 de janeiro a 27 de maio de 2021. Foram registrados, neste intervalo de tempo, 238.414 óbitos por covid-19 e 447.817 mortes por outras causas.

O número de mortes pela doença aumentou em todas as faixas etárias a partir de fevereiro, quando a variante Gama (oriunda de Manaus) se disseminou no país.

“Encontramos evidências de que, embora a disseminação da variante P.1 [Gama] tenha levado ao aumento das mortes por covid-19 em todas as idades, a proporção de óbitos entre os idosos começou a cair rapidamente a partir da segunda quinzena de fevereiro de 2021”, disse Cesar Victora, epidemiologista e líder do estudo, ao site da UFPel.

“Até então, essa proporção tinha se mantido estável em torno de 25% a 30% desde o início da epidemia, mas agora se encontra abaixo de 13%. Além disso, nossas análises de óbitos por outras causas mostram que o declínio proporcional entre os idosos é específico para as mortes por covid-19.”

Segundo o estudo, os níveis nacionais de cobertura com a 1ª dose de uma vacina anticovid na faixa etária de 80 anos ou mais superaram os 80% no fim de fevereiro, estabilizando-se em torno de 95% a partir de março.

O percentual de mortes de idosos acima dos 80 anos caiu de 28% do total de óbitos por covid-19 em janeiro para 12% em maio.

Metade das pessoas na faixa etária de 70 a 79 anos já havia recebido ao menos uma dose da vacina na última semana de março –percentual que subiu para 90% na primeira metade de maio.

Segundo a pesquisa, a proporção de mortes por covid-19 nesse grupo permaneceu em torno de 25% do total de óbitos pela doença até a 2ª semana de abril. A partir daí, diminuiu de forma acentuada e chegou a 16% na última semana de maio.

“Somando as estimativas para ambas as faixas etárias, foram evitadas as mortes de 43.082 idosos”, lê-se no estudo.

Em ambos grupos, o percentual de mortes por causas não relacionadas à covid-19 permaneceu estável.

“A principal contribuição de nosso estudo é fornecer evidências sobre a efetividade do programa de vacinação no Brasil como um todo, em um cenário onde a variante Gama atualmente predomina, confirmando os achados de estudos anteriores realizados em grupos populacionais mais restritos”, declarou Cesar Victora.

“Como o distanciamento social e uso de máscara estão sendo adotados de forma limitada na maior parte do país, o rápido aumento da vacinação permanece como a abordagem mais promissora para controlar a pandemia em um país onde quase 500 mil vidas já foram perdidas para a covid-19″, completou.

Sede: Rua dos Caicós, 2305-D, Nossa Sra. de Nazaré. Natal/RN | CEP: 59060-700
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.