BUSCAR
BUSCAR
Pandemia
Prefeitura limita funcionamento de bares e restringe venda de bebidas alcoólicas em Natal
Todas as determinações têm validade de 15 dias. O prefeito disse que irá suspender o alvará de funcionamento de quem insistir em descumprir as normas
Redação
23/02/2021 | 09:10

O prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB) publicou um decreto em edição extra do Diário Oficial do Município nesta segunda-feira 22 com o objetivo de aumentar as medidas restritivas contra a Covid-19. A medida impacta diretamente bares e restaurantes, que terão horário de funcionamento até às 22h. No Twitter, o gestor informou que irá proibir a venda de bebidas alcoólicas após às 22h em conveniências e similares entre as 22h e 6h. A atividade de músicos em bares e restaurantes, que tinha sido anunciada anteriormente como proibida, foi mantida.

Todas as determinações têm validade de 15 dias. O prefeito disse que irá suspender o alvará de funcionamento de quem insistir em descumprir as normas. Uma relação com os nomes das organizações que desrespeitarem as regras do decreto serão enviadas ao Ministério Público do Rio Grande do Norte. “Infelizmente, são medidas necessárias em virtude da situação atual. Volto a fazer um apelo para mantermos as medidas de prevenção como máscara, álcool e o distanciamento social”, comentou Álvaro, na tarde desta segunda.

O prefeito afirmou que está reforçando a fiscalização para o cumprimento das medidas sanitárias recomendadas pelas autoridades de saúde. Segundo Álvaro, esse processo “já vem funcionando”. No fim de semana passado, foram interditados 12 estabelecimentos por descumprimento das normas sanitárias, de acordo com o balanço apresentado por ele.

Álvaro reforça uso da ivermectina

O prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB), afirmou que vai investir na medicação ivermectina para combater o avanço da Covid-19 no município. A declaração foi dada durante coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira 22. Apesar da farmacêutica norte-americana MSD (Merck Sharp and Dohme), que produz a ivermectina (mas não vende o produto no Brasil), afirmar que ainda não há evidências de que o medicamento traga benefícios ou seja eficaz no tratamento da doença causada pelo coronavírus, o prefeito disse que “vamos usar ivermectina”. Nesta terça-feira 23, foi publicado o decreto com novas medidas restritivas (ver mais abaixo).

A medicação é considerada por Álvaro, médico por formação, como “grande saída” para combater a pandemia existente. Ele classificou tal medida como “tratamento precoce”. A ivermectina, segundo o prefeito, terá o estoque renovado em todos os pontos de distribuição, como as Unidades Básicas de Saúde (UBS). Conhecidas também como postos de saúde, as unidades vão ter horário estendido. Medida se faz necessária para “impedir a propagação do vírus”, comentou Álvaro.

O horário estendido também contempla os centros de tratamento para Covid-19 que funcionam na capital potiguar. São eles: Ginásio Nélio Dias, na Zona Norte; Cemure, na Zona Oeste; e Palácio dos Esportes, Zona Leste. O gestor municipal adiantou que pretende abrir mais 20 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital de Campanha. “Para tanto, estamos dobrando a nossa capacidade de leitos críticos. O Hospital de Campanha, que começou com 20 leitos, passará a ter 40”, destacou Álvaro Dias.

O secretário municipal de Saúde, George Antunes, reforça a necessidade da população seguir contribuindo com os protocolos sanitários, evitando aglomerações, usando máscara e saindo de casa só em situações de extrema necessidade. Além disso, ele comentou que a sobrecarga na rede pública municipal de saúde é fruto também da “invasão” de pacientes de outros municípios.

George informou que entre janeiro e fevereiro mais de 2 mil pacientes de fora de Natal foram atendidos apenas na Unidade de Pronto-Atendimento da Cidade da Esperança. Ao todo, segundo a SMS, mais de 4 mil pessoas oriundas do interior foram atendidas na rede pública da cidade.

“Estamos em um momento que precisa de cuidado e colaboração. Não vamos retroceder e para isso é preciso que a sociedade contribua. A Prefeitura vem fazendo um trabalho hercúleo desde o início da pandemia e precisamos que todos façam a sua parte. Vamos agir de forma conjunta para que a gente saia desse período crítico o mais breve possível”, pontuou o secretário.

Campanha eleitoral é culpada

Álvaro Dias apontou a campanha eleitoral realizada entre setembro e novembro de 2020 como a responsável pelo aumento de casos de Covid-19 na capital potiguar. O gestor relembrou que pediu a suspensão de campanha eleitoral a fim de evitar o aumento de casos, visto que, segundo ele, “a doença estava sob controle” naquele período.

Entretanto, a medida foi questionada por alguns candidatos à Prefeitura do Natal e o caso foi parar na Justiça. A Justiça Eleitoral do Rio Grande do Norte, então, suspendeu o artigo que proibia campanhas na capital publicado no decreto assinado por Álvaro Dias.

“O que aconteceu naquela época resultou nesse caos que estamos vivendo na cidade. A campanha política em Natal e nos demais municípios do interior se transformou em um verdadeiro carnaval, como se tudo estivesse normal. A partir dali começou a ter um novo aumento de contágio, que continuou com as festas de fim de ano”, disparou.

As aglomerações apontadas como comportamento de risco por Álvaro, foi presenciada, em alguns casos, por ele próprio, como quando ele participou de evento político com pessoas sem máscaras e sem o distanciamento mínimo de 1,5 metro entre os presentes, bem como a razão de uma pessoa a cada 5 metros quadrados – regras determinadas no documento oficial assinado pelo prefeito.

Álvaro comentou, ainda, que está preocupado e angustiado com a situação a qual o município tem enfrentado. Às 13h desta segunda 22, o Hospital de Campanha de Natal estava com ocupação de 100% dos leitos críticos Covid, de acordo com dados do Regula RN. Outros seis hospitais no Rio Grande do Norte estavam na mesma situação.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.