BUSCAR
BUSCAR
Economia

Haddad sugere cashback para pobres como opção à isenção para carnes

Inclusão de carne na cesta básica isenta de impostos causa divergências entre deputados que votam a regulamentação da reforma tributária
Redação
09/07/2024 | 20:16

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse, nesta terça-feira 9, que aumentar o cashback (devolução de parte dos impostos pagos pela população) aos mais pobres seria uma alternativa à não inclusão da proteína animal na cesta básica isenta de impostos da reforma tributária.

“Quanto menos exceções, melhor. Mas, muitas vezes, o parlamentar se sente compelido a considerar uma proposta que vai afetar a vida das pessoas”, explicou o titular da pasta, após participar de reunião com líderes partidários da Câmara dos Deputados, na Residência Oficial da Presidência da Câmara.

Ministro da Fazendo Fernando Haddad / Foto: Hugo Barreto/Metrópoles
Ministro da Fazendo Fernando Haddad / Foto: Hugo Barreto/Metrópoles

Segundo o ministro, há uma discussão, no âmbito do cashback, para aumentar a parcela do imposto que é devolvida para inscritos no Cadastro Único. “Isso é uma coisa que tem efeitos distributivos importantes. Então, às vezes, não é isentar toda a carne, mas aumentar o cashback de quem não pode pagar o valor cheio”, argumentou.

O cashback é destinado às famílias que recebem até meio salário mínimo e que são inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). Ainda não foi definido como será feita essa devolução.

Com a reforma tributária, haverá dois tipos de cestas básicas:

  • alíquota zero; e
  • alíquota reduzida de 60% e cashback – uma devolução de parte do valor pago por um serviço ou produto.

    Haddad informou que a inclusão da carne na cesta básica isenta teria impacto de 0,53 ponto percentual (p.p.) na alíquota pelos cálculos da Receita Federal e de 0,57 p.p pelo modelo do Banco Mundial, que é ligeiramente diferente. A taxa – considerada padrão para os impostos e, de acordo com o texto atual, sem a isenção das carnes – hoje é estimada em 26,5%.

O tema das carnes ganhou destaque depois de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ventilar a possibilidade de isentar, pelo menos, o frango. O setor do agronegócio também tem feito pressão para a inclusão das carnes na cesta básica. O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), manifestou-se contra a sugestão.

“Não tem polêmica com relação à carne. Nunca houve proteína na cesta básica. Nunca houve. Se couber, a gente vai ter que ver quanto essa inclusão representa na alíquota que todo mundo vai pagar”, enfatizou Lira.

Caberá aos líderes partidários a decisão final sobre a inclusão ou não das carnes na cesta básica isenta.

Com informações do portal Metrópoles

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Haddad atribui a má avaliação da economia à desinformação
Ministro disse que é "avassalador" o que se vê na rede social
12/07/2024 às 14:46
Setor de Serviços fica estável em maio, diz IBGE
No acumulado de 2024 pesquisa mostrou crescimento de 2,0%
12/07/2024 às 12:02
Estado terá regularizar repasse de ICMS para Município onde usina açucareira mantém operação
Município argumentou que o Estado vem tolhendo a participação definida em Lei, no que diz respeito aos valores adicionados em seu território em razão da atividade de filiais da LDC - Bioenergia LTDA
12/07/2024 às 09:45
IBGE: Crescimento do varejo potiguar em 2024 é 10 vezes maior que o de 2023
Dados de janeiro a maio foram divulgados ontem; Estado teve alta de 7,4% no período
12/07/2024 às 08:00
Varejo potiguar cresce mais de 10 vezes nos cinco primeiros meses de 2024
Fecomércio destacou crescimento após dados do IBGE serem divulgados nesta quinta-feira 11
11/07/2024 às 17:25
Entenda o golpe do Pix errado e saiba como não ser enganado
Criminosos alegam transferência por engano e pedem devolução
11/07/2024 às 17:04
Postos do RN elevam preço do gás veicular sem justificativa, afirma Potigás
Empresa destacou que, de janeiro a julho de 2024, reduziu o preço da molécula de GNV em R$0,06
11/07/2024 às 14:23
Financiamentos de veículos no 1º semestre têm melhor marca desde 2011
Melhoria da renda é um dos fatores que ajudam a explicar o resultado
11/07/2024 às 11:10
Com alta de 1,2% em maio, comércio cresce pelo 5º mês seguido
Setor atinge o ponto mais alto da série histórica do IBGE
11/07/2024 às 10:59
Informalidade representa 46% do mercado da confeitaria no Brasil, aponta estudo
Superar o amadorismo é um dos temas do evento focado no segmento, que pretende reunir este mês mais de 300 confeiteiras em Natal
11/07/2024 às 10:21