BUSCAR
BUSCAR
Alta

Dólar bate R$ 5,43 após Lula criticar mercado e desgaste gerado por MP

Dólar tem maior cotação desde dezembro de 2022
Redação
12/06/2024 | 16:37

A cotação do dólar abriu em alta nesta quarta-feira 12 e chegou a um pico de R$ 5,4286 no início da tarde, após declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre o mercado, em evento no Rio de Janeiro, e em meio ao desgaste provocado pela devolução parcial pelo Congresso da polêmica medida provisória (MP) enviada pelo governo para compensar a desoneração da folha de pagamento de setores da economia.

A última vez que a moeda norte-americana havia passado da casa dos R$ 5,40 foi em dezembro de 2022, no período de transição entre os governos Bolsonaro e Lula.

Dólar americano / Foto: Valter Campanato - Agência Brasil
Dólar americano / Foto: Valter Campanato - Agência Brasil

Leia também: Câmara aprova e “taxa das blusinhas” agora espera sanção de Lula

Mais cedo, Lula disse que não consegue discutir economia sem “colocar a questão social na ordem do dia” e que o “mercado (financeiro) não é uma entidade abstrata, apartada da política e da sociedade”. A declaração ocorre em um momento em que os investidores estão cautelosos em relação à situação fiscal brasileira e aguardam a definição dos juros nos Estados Unidos, que será anunciada nesta tarde.

Segundo analistas, a subida do dólar, que estava cotado a R$ 5,38 por volta das 13h30, é também uma reação ao ambiente político interno, com os ruídos criados pela MP 1.227, que alterava regras de uso de crédito do PIS/Cofins, que foi enviada pelo Ministério da Fazenda na semana passada e devolvida parcialmente pelo Senado na noite dessa terça-feira 11.

Ruído político

Para a economista-chefe do Ouribank, Cristiane Quartaroli, existe uma parcela de cautela do mercado por conta do cenário externo, à espera da divulgação, na tarde desta quarta-feira 12, das taxas de juros que serão adotadas pelo Federal Reserve, o banco central norte-americano. A expectativa é de manutenção do intervalo de 5,25% a 5,5%.

“Mas acho que a principal questão do câmbio hoje é interna, por conta do ruído político grande entre governo e Senado, agravado pela devolução da MP 1.227”, disse Cristiane.

Segundo ela, esse ruído “reforça a preocupação do mercado” com o lado fiscal. “O governo está tomando medidas pensando em aumentar a receita e pensamento pouco voltado em diminuir despesas. A aversão ao risco está vindo daí hoje”, afirmou.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Haddad atribui a má avaliação da economia à desinformação
Ministro disse que é "avassalador" o que se vê na rede social
12/07/2024 às 14:46
Setor de Serviços fica estável em maio, diz IBGE
No acumulado de 2024 pesquisa mostrou crescimento de 2,0%
12/07/2024 às 12:02
Estado terá regularizar repasse de ICMS para Município onde usina açucareira mantém operação
Município argumentou que o Estado vem tolhendo a participação definida em Lei, no que diz respeito aos valores adicionados em seu território em razão da atividade de filiais da LDC - Bioenergia LTDA
12/07/2024 às 09:45
IBGE: Crescimento do varejo potiguar em 2024 é 10 vezes maior que o de 2023
Dados de janeiro a maio foram divulgados ontem; Estado teve alta de 7,4% no período
12/07/2024 às 08:00
Varejo potiguar cresce mais de 10 vezes nos cinco primeiros meses de 2024
Fecomércio destacou crescimento após dados do IBGE serem divulgados nesta quinta-feira 11
11/07/2024 às 17:25
Entenda o golpe do Pix errado e saiba como não ser enganado
Criminosos alegam transferência por engano e pedem devolução
11/07/2024 às 17:04
Postos do RN elevam preço do gás veicular sem justificativa, afirma Potigás
Empresa destacou que, de janeiro a julho de 2024, reduziu o preço da molécula de GNV em R$0,06
11/07/2024 às 14:23
Financiamentos de veículos no 1º semestre têm melhor marca desde 2011
Melhoria da renda é um dos fatores que ajudam a explicar o resultado
11/07/2024 às 11:10
Com alta de 1,2% em maio, comércio cresce pelo 5º mês seguido
Setor atinge o ponto mais alto da série histórica do IBGE
11/07/2024 às 10:59
Informalidade representa 46% do mercado da confeitaria no Brasil, aponta estudo
Superar o amadorismo é um dos temas do evento focado no segmento, que pretende reunir este mês mais de 300 confeiteiras em Natal
11/07/2024 às 10:21