BUSCAR
BUSCAR
Saúde

Conselho de Medicina pede que Justiça suspenda venda geral de fenol

Pedido de liminar foi protocolado pelo Cremesp vem depois de morte de jovem que passou por peeling de fenol
23/06/2024 | 08:03

O Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) pediu à Justiça Federal do estado a suspensão imediata da venda de fenol e seus derivados para profissionais que não são médicos ou dentistas habilitados. O objetivo é tentar fazer a Justiça forçar a Anvisa a fechar o cerco contra procedimentos estéticos realizados por pessoas sem o devido preparo.

“A ação visa proteger a saúde pública restringindo o uso de substâncias perigosas como o fenol por profissionais não constituídos. O Cremesp busca garantir que apenas profissionais devidamente treinados e capacitados possam realizar procedimentos invasivos, minimizando riscos de complicações graves e fatais para os pacientes”, sintetiza o documento.

Peeling de fenol é um procedimento que utiliza ácido para rejuvenescer a pele e tem recuperação dolorosa / Foto: Kyryl Gorlov/GettyImages
Peeling de fenol é um procedimento que utiliza ácido para rejuvenescer a pele e tem recuperação dolorosa / Foto: Kyryl Gorlov/GettyImages

A decisão colegiada que motivou a ação foi tomada depois da morte de um jovem de 27 anos que passou pelo procedimento invasivo em uma clínica da cidade de São Paulo que não tinha qualificação técnica, ou sequer estrutura para esse tipo de tratamento.

O fenol, ou ácido carbólico, é usado em sua forma diluída para atingir as camadas mais profundas da pele. O Cremesp sustenta que a substância é “extremamente invasiva e arriscada”.

A ação tem como base a Lei do Ato Médico (Lei nº 12.843/13), que regulamenta quais procedimentos podem ser feitos por profissionais de saúde não médicos.

Além da solicitação pra suspender imediatamente a venda de fenol para não-médicos ou dentistas, o Cremesp ainda pede que a Justiça determine que a Anvisa forneça “informações detalhadas sobre as condições atuais de comercialização de substâncias à base de fenol e se há controle sobre a venda para pessoas leigas”.

No caso da aplicação da substância, eles pedem que seja usada como base a RDC nº 50 da Anvisa, que traz requisitos de equipamentos médicos e treinamento adequados para emergências.

O órgão afirma ainda que “A utilização de fenol por profissionais não qualificados pode levar a complicações graves, como toxicidade cardíaca, hepática e renal, além de queimaduras profundas e irreversíveis”.

Com informações da CNN Brasil

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Vacina nacional contra Covid está em fase avançada, diz ministra 
Testes clínicos devem começar ainda este ano
12/07/2024 às 22:07
Mortalidade por vírus respiratório em crianças segue alta, diz Fiocruz
Em idosos, mortes estão associadas a gripe, influenza e covid
11/07/2024 às 21:27
Veja como fica lista de medicamentos ofertados pelo Farmácia Popular
Remédios incluídos são para colesterol, Parkinson, glaucoma e rinite
11/07/2024 às 14:05
Em 18 meses, Mais Médicos cresce 81% no Rio Grande do Norte
Desde a posse do presidente Lula, total saltou de 262 para 476
11/07/2024 às 08:47
Anvisa aprova projeto-piloto para bula digital de medicamentos
QR Code nas embalagens vai permitir acesso a informações adicionais
10/07/2024 às 16:10
Novos profissionais do Mais Médicos são incorporados aos municípios do RN
Programa Mais Médico organiza a APS uma vez que ainda existem diversas lacunas assistenciais em vários municípios do estado
10/07/2024 às 15:02
Em 18 meses, Mais Médicos cresce 81,6% no Rio Grande do Norte
Médicos e médicas em atividade se concentram em regiões onde há escassez ou ausência de profissionais de saúde. Novo edital vai contratar mais 3,1 mil profissionais
10/07/2024 às 14:50
Farmácia Popular passa a oferecer 95% dos medicamentos gratuitamente
Economia para usuários pode chegar a R$ 400 por ano
10/07/2024 às 14:13
Estratégia de combate ao mosquito da dengue com larvicida vira política nacional
Objetivo é reduzir população de insetos, sobretudo em grandes cidades
10/07/2024 às 07:42
Ministério implanta rede de atenção à saúde indígena no RN e mais um estado
Com a implementação de Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs) e equipes multidisciplinares nas duas unidades federativas, rede de saúde indígena chega a todos os estados do Brasil
06/07/2024 às 13:19