BUSCAR
BUSCAR
Coluna
Perfil novo de desempregado
Redação
12/07/2020 | 23:00

A pandemia mudou o cenário de criação de vagas no País. Se em 2018 e 2019, o saldo positivo de vagas formais era restrito às faixas salariais de até dois salários mínimos, em 2020, até o mês de maio, esses foram os patamares de salário com maior fechamento de postos de trabalho.

Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), enviados pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho. No acumulado de 2020, do total de 1,145 milhão de vagas fechadas, mais da metade foi na faixa salarial de 1,01 a 1,5 salário mínimo – um total de 635,1 mil postos de trabalho fechados. Essa faixa liderou o saldo de vagas criadas em 2018 e 2019.

Já na faixa de 1,51 a 2 salários mínimos, foram 229,3 mil postos fechados até maio deste ano. Essas duas faixas corresponderam a 75,5% do total de vagas fechadas no ano. No caso da renda de 0,51 a 1,0 salário mínimo, que ficou na vice-liderança de criação de vagas em 2018 e 2019, foram fechadas mais de 45 mil vagas.

A única faixa salarial com saldo positivo de vagas neste ano foi a de até meio salário mínimo: 24,2 mil vagas criadas. A pandemia também mudou o ranking de ocupações que mais criaram vagas com carteira assinada nos primeiros meses de 2020. A predominância foi nas áreas de saúde, educação e agricultura.

As medidas de restrição e isolamento social para reduzir a velocidade do avanço da doença provocaram a suspensão do funcionamento de serviços considerados não essenciais, o fechamento de boa parte do comércio e também de fábricas.

Coaf I

Depois de meses de paralisia, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) registrou recorde histórico de produção de relatórios de inteligência no primeiro semestre deste ano. Foram 5.840 documentos elaborados entre janeiro e junho, o maior número para o período. No ano passado, decisão do STF e mudanças de subordinação fizeram as atividades despencarem. A alta produtividade agora se dá pelo que estava represado e também pelos ilícitos durante a pandemia.

Coaf II

O Coaf voltou aos holofotes no fim de 2018, quando estourou o caso Queiroz. O senador Flávio Bolsonaro e seu ex-assessor Fabrício Queiroz viraram alvo de investigação a partir de informações do órgão. Desde então, o conselho saiu da Economia, foi para o Ministério da Justiça, voltou para a pasta de Paulo Guedes e depois foi para o Banco Central, onde está hoje.

Testagem I

A ampliação da testagem para casos de Covid-19 no Brasil ficou na promessa até agora. Em abril, o Ministério da Saúde divulgou que a previsão era ofertar 46 milhões de testes até setembro. Seriam 24 milhões de testes moleculares (que verificam a presença de material genético do vírus em amostras das vias respiratórias) e 22 milhões de testes rápidos (que verificam a presença de anticorpos a partir de amostras de sangue).

Testagem II

Até agora, porém, só 12,3 milhões desse testes foram distribuídos aos estados, abaixo do previsto em cronograma inicial do programa “Diagnosticar para Cuidar”, que apontava 17 milhões até o fim de maio.

Ação coordenada

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, negou pedidos apresentados pelos municípios de Sete Lagoas (MG) e Cabedelo (PB), nas regiões metropolitanas de Belo Horizonte e João Pessoa, respectivamente. As cidades foram ao STF alegando serem obrigadas a seguir recomendações e diretrizes adotadas pelos governos estaduais para o combate do novo coronavírus. Toffoli apontou que o entendimento do Supremo é que cabe aos entes federados a coordenação na adoção de medidas de enfrentamento da pandemia e os prefeitos não apontaram que estariam atuando de forma coordenada com os governos estaduais.

Notícia-crime

O PSOL apresentou no Supremo Tribunal Federal (STF) uma notícia crime contra o presidente Jair Bolsonaro, alegando infração de medida sanitária preventiva. A denúncia é assinada pelos deputados federais Ivan Valente (SP) e Luíza Erundina (SP) e pelo ex-presidenciável Guilherme Boulos. O partido argumenta que Bolsonaro minimizou a Covid-19 e desrespeitou repetidamente as regras de contenção da doença, como o isolamento social e o uso de máscara, colocando em risco a vida da população.

Apagão ambiental

A aplicação do instrumento mais eficaz do Ibama para barrar o desmatamento no Brasil registrou uma queda de 60% nos seis primeiros meses deste ano em comparação a igual período de 2019. De janeiro a junho deste ano, o número dos chamados termos de embargo aplicados pelo órgão ambiental foi de 587. Nos mesmos meses do ano passado, foram 1.435.

Sexo sem limites I

O novo ministro da Educação, o advogado e pastor presbiteriano Milton Ribeiro, afirmou em 2018 que a linha existencialista de pensamento é ensinada nas universidades e incentiva uma “prática totalmente sem limites do sexo”. Um vídeo mostra Ribeiro falando à comunidade evangélica sobre o assunto durante culto.

Sexo sem limites II

“Para contribuir ainda mais em termos negativos para uma prática totalmente sem limites do sexo veio a questão filosófica do existencialismo, em que o momento é que importa. Não importa se é A, B, se é homem ou se é mulher, se é esse, se é aquele, se é velho, se é novo. Não interessa. O que interessa é aquele momento”, declarou o hoje ministro da Educação na gravação.

Rápidas

Hoje, 13 de julho, é Dia do Cantor, Dia Mundial do Rock, Dia do Engenheiro de Saneamento e Dia dos Compositores e Cantores Sertanejos.

Nesta data, em 1990 – há 30 anos –, era instituído no Brasil o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Em comemoração aos 30 anos do ECA, a vereadora de Natal Júlia Arruda conversa com o juiz coordenador estadual da Infância e Juventude, José Dantas. Às 17h, no Instagram dela.

O YouTube da SBPC transmite hoje, às 12h, debate sobre a situação da pandemia da Covid-19. Com participação da diretora do IMT/UFRN, Selma Maria.

O Centro de Ciências Sociais Aplicadas realiza workshop de como elaborar artigos científicos. É nesta segunda, às 13h, no YouTube da BiblioUFRN.

O Departamento de Psicologia promove mesa-redonda com temática “Crise, pandemia e Psicologia”. É hoje, às 14h, no Instagram Depsi UFRN.

O vereador Raniere Barbosa (Avante), da Câmara Municipal de Natal, conversa com a diretora do Instituto dos Arquitetos do RN, Sophia Motta, sobre o processo de revisão do Plano Diretor de Natal. Será nesta segunda-feira, às 20h, no Instagram do vereador.

Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.