BUSCAR
BUSCAR
Segurança
Uber testa filmar viagens, e 99 usa inteligência artificial para monitorar corridas suspeitas
Objetivo das empresas é detectar e registrar comportamentos fora do comum durante as viagens
UOL
25/02/2021 | 21:00

Os dois principais aplicativos de transporte atuantes no Brasil, Uber e 99, anunciaram nesta semana a adoção de novas tecnologias para dar mais segurança aos motoristas e passageiros. A Uber começou a gravar vídeos durante as viagens, ainda que em caráter experimental, e a 99 incluiu inteligência artificial para monitorar as corridas em tempo real.

O objetivo das duas é detectar e registrar comportamentos fora do comum durante as viagens.

As gravações em vídeo da Uber começaram a ser feitas na terça-feira (23) com um grupo pequeno de motoristas que circulam em Aracaju (SE). Segundo a empresa, aos poucos, o grupo será expandido e deve chegar a todos os motoristas da Uber no Estado. Ainda não há informações sobre quando o serviço será levado para todo o Brasil.

A 99 começou a implementar um sistema que usa inteligência artificial e rastreamento de GPS para acompanhar a corrida. Caso o app detecte que há algo errado com o trajeto, alertas serão enviados automaticamente para motorista e passageiro, com a possibilidade de acionamento da polícia.

Gravação de vídeo

As gravações em vídeo da Uber funcionam como as gravações de áudio, já disponíveis no Brasil desde de 2019. Elas são feitas pelo celular do motorista por meio do app Sentinel, que usa a câmera do aparelho.

Dessa forma, como já acontece na gravação de áudio, o vídeo permanecerá criptografado no celular, disse a Uber. A empresa garante que ninguém pode acessar o material filmado, nem mesmo o motorista. Uma vez gravado, o vídeo fica armazenado nos sistemas da empresa Grip Mobility, responsável pelo app Sentinel. A companhia só terá acesso às informações mais básicas do motorista da Uber. Mas, se em algum momento o motorista ou passageiro solicitarem a gravação, a Uber — que é a única parte que possui a chave criptografada — terá acesso às imagens e encaminhará para autoridades competentes.

Durante a fase de testes, o condutor poderá escolher participar ou sair a qualquer momento. O passageiro que cair numa corrida com um carro que escolheu participar do teste será avisado que a sua viagem poderá ser gravada. Caso não se sinta confortável, a pessoa pode optar por cancelar a corrida —o que pode virar uma dor de cabeça para quem está com pressa.

O monitoramento de viagens feito por câmeras não é algo novo entre os apps de transporte. A 99 oferece aos motoristas a instalação de câmeras de segurança dentro dos veículos desde 2018, num sistema diferente do adotado pela Uber.

No ano passado, São Paulo passou a ter um recurso extra: ter câmeras instaladas fora dos carros, próximas ao retrovisor. Elas acompanham botões de segurança físico (localizado em uma posição sigilosa dentro do carro) que podem ser acionados pelo motorista durante a emergência.

No momento em que o motorista aperta o botão, a Central de Segurança da 99 é acionada, e, se necessário, a polícia é contatada. As imagens captadas também podem ser usadas para ajudar as autoridades na identificação de pessoas que cometerem eventuais infrações.

Segundo dados inéditos da 99, de janeiro de 2020 a janeiro de 2021, foram feitas mais de 8,3 milhões de corridas com as câmeras de segurança.

99 vai perguntar se está tudo bem

O novo recurso da 99 é chamado “Monitoramento de Corrida em Tempo Real”. Ele conta com algoritmo que detecta paradas muito longas e viagens com tempo acima do previsto no app.

Quando um possível incidente de segurança é identificado, o sistema envia um alerta para passageiro e motorista perguntando se está tudo bem. Caso o risco seja constatado, um aviso é enviado à Central de Segurança da 99, que analisa o cenário, podendo ligar para o motorista ou até chamar a polícia, compartilhando informações sobre o trajeto.

A Uber já trabalha com um recurso parecido no Brasil desde o começo de 2020. Ele se chama U-Ajuda. A ferramenta identifica eventos raros, como uma parada não prevista na rota.

Quando algo suspeito acontecer, o aplicativo também emite avisos para o motorista e passageiro com orientações (como ligar para a política, compartilhar a viagem com alguém de segurança ou oferecer a opção de entrar em contato com a central da Uber).

Segurança x privacidade

As duas empresas afirmam que cumprem as regras previstas nas lei de proteção de dados e direito do consumidor. Antes de a corrida ser iniciada, o passageiro é informado de que o veículo tem um sistema de segurança por imagem. A pessoa precisa aceitar a viagem nessas condições.

Segundo o especialista em direito digital José Vitor Lopes e Silva, uma vez que o passageiro está ciente da gravação, essa forma de monitoramento é considerada legal e respeita a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados).

O advogado recomenda que você fique atento à política de cancelamento da corrida. “O cidadão tem o direito de escolher sua corrida gravada. Mas não é legal que a empresa cobre uma taxa de cancelamento”, afirmou.

Camila Leite, advogada do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), disse que é preciso ficar em alerta também sobre a possibilidade de vazamento e uso indevido das imagens. Em casos comprovados, as vítimas podem recorrer seus direitos.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.