BUSCAR
BUSCAR
Polêmica
MPF denuncia evento “Facada Fest” por cartazes contra a honra de Bolsonaro
Em um dos cartazes, o presidente, que ganhou o bigode de Hitler, aparece vomitando fezes sobre uma floresta. Ele ainda veste uma cueca com a bandeira americana e tem uma arma na mão
Metrópoles
30/03/2021 | 09:20

O Ministério Público Federal (MPF) ofereceu denúncia contra os organizadores do “Facada Fest”, evento de punk e hardcore em Belém (PA), por cartazes críticos ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O processo corre na 4ª Vara Federal Criminal do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1).

Segundo o MPF, os artistas do Facada Fest teriam cometido crimes de injúria contra a honra de Jair Bolsonaro, além de apologia de crime – no caso, a facada que ele levou em 2018, em Juiz de Fora (MG).

Quatro organizadores do evento e o ilustrador Paulo Victor Magno estão na mira da Justiça por causa de dois cartazes usados para divulgação do festival.

Mpf denuncia evento “facada fest” por cartazes contra a honra de bolsonaro
MPF denuncia evento "Facada Fest" por cartazes contra a honra de Bolsonaro

Num deles, divulgado para a edição de 2019, Bolsonaro é representado pelo palhaço Bozo, que é empalado por um lápis.

Em outro, o presidente, que ganhou o bigode de Hitler, aparece vomitando fezes sobre uma floresta. Ele ainda veste uma cueca com a bandeira americana e tem uma arma na mão.

A denúncia foi entregue à Justiça em 15 de setembro de 2020. Na última quinta 25, a defesa dos artistas entrou com um habeas corpus pedindo que a investigação seja paralisada e que o processo não seja aceito pela Justiça.

Após uma investigação da Polícia Federal, de acordo com a denúncia do MPF, os cartazes tinham mais do que críticas a Bolsonaro. “Houve, sim, manifesto abuso por parte dos denunciados, o que afetou diretamente a honra do presidente da República e propiciou a exaltação de um ato criminoso”, diz o documento.

No Facebook, o Facada Fest disse que a denúncia se caracteriza “como uma grave violação à liberdade de expressão e ao direito de manifestação crítica e artística, ou seja, um verdadeiro ato de criminalização indevida e perseguição política a um movimento coletivo social representante da contracultura do rock paraense”.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.