BUSCAR
BUSCAR
Entrevista
“Gestão de Álvaro Dias em Natal é atrasada, retrógrada”, critica Hermano Morais
Candidato do PSB à Prefeitura do Natal critica atual gestão municipal e diz que, se for eleito, fará um “governo popular, com equipe técnica de qualidade” e que vai mirar justiça social
Redação
17/09/2020 | 05:25

Cumprindo o terceiro mandato na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Hermano Morais (PSB) se prepara para disputar a Prefeitura do Natal pela segunda vez. Na última, em 2012, foi ao segundo turno.

De lá para cá, na avaliação dele, a situação da cidade só piorou. Segundo o candidato, as gestões dos prefeitos Carlos Eduardo Alves (PDT) e de Álvaro Dias (PSDB), o atual, não deram condições para que a cidade avançasse.

Para Hermano, a atual gestão “não trouxe nada de novo, a não ser o retrocesso”. “É uma gestão conservadora. Nada de novo ele acrescentou. Os índices são os mesmos. Considero uma gestão atrasada, retrógrada”, afirma ele.

Nesta entrevista exclusiva ao Agora RN, Hermano faz uma avaliação da atual gestão e conta quais serão os planos que ele pretende apresentar na campanha. Confira:

AGORA RN – O senhor vai disputar a Prefeitura do Natal pela segunda vez. O que mudou de 2012 para cá?
HERMANO MORAIS –
Hoje eu sou uma pessoa mais experiente na política, na vida e também no conhecimento dos problemas de Natal. Desde 2012, se passaram oito anos, e o desejo de contribuir com a minha cidade no Executivo permanece. Já pude ajudar como vereador por quatro mandatos, continuo colaborando como deputado estadual no terceiro mandato, mas vejo que nossa cidade está involuindo. Estamos em um momento de retrocesso em vários aspectos. Natal, que é uma cidade bela por natureza, tem hoje seu povo sofrido.

AGORA RN – Por quê?
HM –
Natal tem problemas seríssimos na área social, na saúde, na segurança, na empregabilidade. Natal merece uma gestão em que haja mais respeito à população, especialmente à população mais sofrida, que hoje tem dificuldade de acesso à educação de qualidade, que procura os serviços básicos de saúde e não encontra, que continua enfrentando problemas seríssimos na área de segurança pública. Natal é considerada uma das 10 mais violentas do mundo.

AGORA RN – A que o senhor atribui esses problemas?
HM –
Natal é uma cidade que vem perdendo ao longo do tempo por falta de prioridade das gestões, por falta de criatividade. Vamos demonstrar que Natal merece estar melhor. O que verificamos hoje é um índice de desemprego crescente, inclusive no turismo, nosso maior gerador de emprego e renda. As praias estão malcuidadas, feias. A cidade está suja. Há muito tempo Natal não resiste a uma chuva de pequena intensidade. Muitas ruas já são conhecidas como intransitáveis. Tem um problema seríssimo de mobilidade urbana, de acessibilidade. Temos problema de transporte público, que, apesar do custo alto, não atende à população. Há mais de vinte anos se fala em licitação do transporte público, que não acontece. Natal que não dialoga com os municípios vizinhos da região metropolitana, e que vivem os mesmos problemas.

AGORA RN – Caso seja eleito prefeito, como o senhor espera resolver esses problemas?
HM –
Vamos propor parcerias com os outros municípios, através de consórcios. Também parcerias com os governos estadual e federal e com a iniciativa privada. Vamos adotar o conceito de cidade inteligente, um conceito novo, moderno, que já acontece em outras partes do Brasil e do mundo. A tecnologia precisa servir para atender a população na segurança, na saúde pública, na eficiência da gestão. É nessa linha que vamos caminhar. Queremos fazer um governo popular, onde a população seja ouvida, com a equipe técnica de qualidade e com compromisso de evitar qualquer desvio ou desperdício de dinheiro público. Cada centavo será bem aplicado. Não vamos admitir qualquer desvio de finalidade ou desperdício.

AGORA RN – Como o senhor avalia a área da educação?
HM –
É inadmissível que mães e pais de família não tenham onde deixar com segurança os filhos da primeira infância para que possam trabalhar. Apenas 38% da população nessa faixa da primeira infância é atendida pelas creches de Natal. Todos os anos os pais são obrigados a se inscreverem e passarem pela humilhação do sorteio. Vamos tratar isso como prioridade. Além disso, não se admite que Natal seja uma das cidades com o maior índice de analfabetismo, quando décadas atrás, no governo popular de Djalma Maranhão, foi erradicado o analfabetismo.

AGORA RN – Como o senhor avalia a gestão do prefeito Álvaro Dias?
HM –
É uma gestão conservadora. Nada de novo ele acrescentou. Os índices são os mesmos. Considero uma gestão atrasada, retrógrada e que não traz nada de novo, a não ser o retrocesso, que se aprofunda a cada dia. O número de indigentes, pessoas que não têm onde morar e o que comer, está aumentando. Basta andar e verificar as calçadas de Natal durante a noite. Essa é a Natal. Se andar pelas periferias, vamos verificar ruas escuras, malcuidadas, a cidade suja e a dificuldade de acesso à educação, saúde e segurança, que é o básico. É possível fazer diferente. Se faz mais do mesmo na atual gestão. Queremos fazer diferente. E é possível.

AGORA RN – O que o motiva a disputar as próximas eleições?
HM –
Vamos tornar essa cidade mais justa. É isso que nos anima e nos estimula a enfrentar essa grande estrutura que está montada para perpetuação no poder do grupo que está instalado hoje na Prefeitura do Natal. Queremos diferente. Chega de se fazer o mesmo e Natal só acumula prejuízo e retrocesso. Vamos apresentar uma alternativa nova e realizável. Queremos trazer de volta o sentimento de esperança para o povo de Natal.

AGORA RN – Qual é a sua proposta para a área de infraestrutura?
HM –
Há muito tempo Natal não tem uma grande obra. A última grande obra foi concluída na gestão de Wilma de Faria, que foi a Ponte Newton Navarro. De lá para cá, Natal não teve mais nenhuma grande obra. Hoje está difícil. Mas podemos fazer com parcerias. Há legislações.

AGORA RN – O prefeito acredita que conduziu bem a crise da Covid-19. O senhor concorda?
HM –
Ele fez o mínimo que tinha que ser feito. Mesmo com o esforço, tivemos um alto índice de pessoas contaminadas. Em alguns momentos, de pico, tivemos pessoas desassistidas. Foi feito o básico. Podia ter sido feito melhor.

AGORA RN – Na sua opinião, para onde a cidade deve seguir nos próximos anos?
HM –
Defendemos que Natal saia desse marasmo administrativo em que se encontra. Natal está em uma situação de retrocesso. Apesar de toda a infraestrutura que existe, apesar da hospitalidade do povo, que é uma coisa fabulosa, os índices demonstram que estamos no caminho errado. O caminho do retrocesso. Temos que tirar Natal do retrocesso e buscar, com toda a criatividade, uma gestão eficiente.

AGORA RN – O senhor tem falado muito em “justiça social”. Como implementar isso?
HM –
Sou a favor do empreendedorismo. Vamos buscar parcerias com instituições como o Sebrae para estimular a micro e pequena empresa a gerar emprego e renda. Não podemos falar em justiça social se não dermos oportunidade às pessoas. Primeiro, é preparar a pessoa para o mercado de trabalho. Depois, é criar condições para que elas possam empreender e serem aproveitadas no mercado de trabalho. Assim, poderemos dar um passo adiante e diminuir as desigualdades sociais que são gritantes em nossa capital. Vamos fazer uma gestão popular, eficiente e parceira de quem quer o melhor para Natal.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.