BUSCAR
BUSCAR
Sacrifício
Covid-19: produzir vacina pode levar meio milhão de tubarões à morte
Óleo natural feito no fígado desses animais é usado como adjuvante para aumentar a eficácia de vacinas, fortalecendo a resposta imunológica
Redação
28/09/2020 | 16:49

Cerca de meio milhão de tubarões podem ser abatidos em meio aos esforços para produzir uma vacina contra a Covid-19, de acordo com especialistas em vida selvagem. As informações são do jornal britânico Daily Mail.

Os tubarões são caçados para a fabricação do esqualeno, um óleo natural feito no fígado dos animais. O ingrediente é usado como um adjuvante para aumentar a eficácia de vacinas, criando uma resposta imunológica mais forte. Ele está presente em algumas das candidatas à vacina contra a covid-19, segundo o jornal.

Se uma dessas vacinas for usada em todo o mundo, o grupo conservacionista Shark Allies acredita que cerca de 250 mil tubarões precisarão ser abatidos para fornecer uma dose para cada pessoa.

Como muitas vacinas que estã sendo desenvolvidas contra a covid-19 exigem duas doses, isso significa que cerca de 500 mil tubarões precisariam ser abatidos para a produção desses imunizantes, de acordo com cálculos do grupo conservacionista sediado na Califórnia.

“Colher algo de um animal selvagem nunca será sustentável, especialmente se for um predador de topo que não se reproduz em grandes números”, disse Stefanie Brendl, fundadora e diretora executiva da Shark Allies.

 “Não estamos tentando desacelerar ou dificultar a produção de uma vacina. Nós simplesmente pedimos que o teste de esqualeno não derivado de animal seja conduzido junto com o esqualeno de tubarão para que ele possa ser substituído o mais rápido possível”, afirmou em postagem feita em uma rede social.

“Em bilhões de doses necessárias por ano, nas próximas décadas, é fundamental que não dependamos de recursos de animais selvagens. Pode ser prejudicial para as espécies de tubarões que são caçadas por seu óleo e não é uma cadeia de abastecimento confiável”, acrescentou.

O grupo criou uma petição online chamada “Pare de Usar Tubarões na Vacina Covid-19 – Use Opções Sustentáveis ​​Existentes” na qual destaca que o esqualeno feito de óleo de fígado de tubarão é mais comumente usado porque é “barato de obter” e “fácil de encontrar”.

Entretanto, de acordo com a Shark Allies, a estrutura química do composto esqualeno é idêntica em tubarões e alternativas não animais, o que significa que a eficácia do produto em vacinas deve ser idêntica, independentemente de sua fonte.

Todas as plantas e animais produzem esqualeno como um intermediário bioquímico. Além disso, ele pode ser fabricado a partir de produtos como fermento, cana-de-açúcar e azeite de oliva.

A organização conservacionista afirma que a Amyris, uma das empresas produtoras de esqualeno, com sede no Vale do Silício, nos Estados Unidos, usa um processo que obtém esqualeno da cana-de-açúcar.

Em sua declaração mais recente, a empresa afirma que pode produzir esqualeno para um bilhão de vacinas em um mês ou menos.

O esqualeno sintético da empresa ainda não foi aprovado para uso em vacinas.

No entanto, seu presidente-executivo, John Melo, disse que está em negociações com reguladores nos Estados Unidos para permitir que seja usado como um adjuvante alternativo em vacinas atualmente formuladas com esqualeno à base de tubarão.

De acordo com a  OMS (Organização Mundial da Saúde), existem 40 vacinas candidatas para covid-19 em avaliação clínica e 142 vacinas em avaliação pré-clínica. A Shark Allies afirma que 17 delas usam adjuvantes, e cinco desses adjuvantes são baseados em esqualeno de tubarão.

O grupo também levantou preocupações sobre as áreas em que os tubarões são abatidos, pois afirma que, geralmente, o processo ocorre em países que são “mal regulamentados em termos de pesca e produção de óleo de peixe”.

Com frequência, o esqueleno é obtido durante pequenas operações pesqueiras privadas no Oceano Pacífico de países como Indonésia e Filipinas, e processado na China.

Eles alertam que um aumento na demanda pode aumentar a pressão sobre as populações de tubarões nesses países, bem como na Europa e nos Estados Unidos. Há preocupações com o já vulnerável tubarão gulper – que é rico em esqualeno.

De acordo com estimativas feitas por conservacionistas, cerca de três milhões de tubarões são mortos todos os anos devido ao esqualeno – que também é usado em cosméticos e óleo de máquina – e 3 mil são necessários para extrair uma tonelada do produto.

*As informações são do R7

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.