BUSCAR
BUSCAR
Avaliação
Covid-19: 91% da população defende que o uso de máscara continue obrigatório
Para 80% das pessoas ouvidas pelo Datafolha, a pandemia está controlada em partes ou totalmente
IG
24/09/2021 | 17:39

Uma pesquisa divulgada hoje pelo Datafolha revelou que mesmo com o avanço da vacinação e a crescente percepção de que estamos caminhando rumo ao controle da pandemia, 91% dos brasileiros avaliam que a máscara deve continuar sendo obrigatória no país.

Mesmo diante das investidas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para que o ministro da Saúde Marcelo Queiroga edite uma medida que desobrigue o uso do equipamento de proteção, a percepção da população é que ele ainda segue necessário para o controle das infecções.

O Instituto avalia que o discurso antimáscara é mais difundido entre os apoiadores do presidente. Dos que se posicionaram contra a obrigatoriedade, 19% avalia o governo como bom ou ótimo, contra 4% dos que consideram ruim ou péssimo.

Em relação às vacinas, 42% se disseram muito protegidos, 48% um pouco protegidos e 10% nada protegido. Os que aprovam a gestão Bolsonaro, 15% afirmaram estar na fatia dos que não se sentem nada protegidos com a vacina.

Para 80% das pessoas ouvidas, a pandemia está parcialmente controlada – 71% – ou totalmente controlada – 9%. Outros 20% avaliam que está fora de controle, e 1% não soube responder.

A percepção é maior entre as pessoas de 60 anos ou mais (14%), com renda superior a dez salários mínimos (18%), e principalmente entre os que apoiam o governo Bolsonaro (20%).

A pesquisa foi feita em julho em 3.667 entrevistas em 190 cidades do Brasil, com pessoas acima dos 16 anos. A margem de erro é de pois pontos percentuais.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.