BUSCAR
BUSCAR
Educação

Câmara rejeita mudanças do Senado para o novo Ensino Médio

Relator foi foi contra a inclusão do espanhol como idioma obrigatório
Agência Brasil
09/07/2024 | 22:07

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira 9 novas mudanças na reforma do ensino médio. A proposta já tinha sido analisada pelo Senado e agora será enviada à sanção presidencial.

O substitutivo do deputado Mendonça Filho (União-PE) mantém o aumento da carga horária da formação geral básica previsto no projeto original, de 1,8 mil para 2,4 mil horas nos três anos do ensino médio para alunos que não optarem pelo ensino técnico. A carga horária total do ensino médio continua a ser de 3 mil horas nos três anos. 

Carga horária total do ensino médio continua a ser de 3 mil horas nos três anos / Foto: Agência Brasil
Carga horária total do ensino médio continua a ser de 3 mil horas nos três anos / Foto: Agência Brasil

Para completar a carga total nos três anos, os alunos terão de escolher uma área para aprofundar os estudos com as demais 600 horas. A escolha poderá ser entre um dos seguintes itinerários formativos: linguagens e suas tecnologias, matemática e suas tecnologias, ciências da natureza e suas tecnologias ou ciências humanas e sociais aplicadas.

A proposta tinha recebido alterações no Senado Federal, que foram derrubadas pelos deputados. Entre elas, trecho que obrigava o ensino médio a ter no mínimo 70% da grade como disciplina básica e apenas 30% para os itinerários formativos. Mendonça excluiu esse ponto e, assim, os itinerários formativos poderão abranger mais que 30%.

Mendonça Filho também foi contra a inclusão do espanhol como idioma obrigatório, por criar despesa pública de caráter continuado, sobretudo para os estados. Segundo ele, o espanhol pode ser obrigatório, desde que a rede estadual adote isso. “Não dá para impor essa regra ao Brasil todo”, afirmou. 

O deputado Felipe Carreras (PSB-PE) apresentou um recurso para retomar a obrigatoriedade. Ele ressaltou que o espanhol não é uma imposição de língua obrigatória, mas apenas uma opção em relação ao inglês. “Não estamos obrigando os estudantes a escolher a língua espanhola: 70% dos estudantes que fazem o Enem escolhem o espanhol”, afirmou.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
CNJ pede explicações a juízas sobre decisões que negaram aborto legal
Magistradas são do Tribunal de Justiça de Goiás
12/07/2024 às 19:52
Técnica de enfermagem é condenada a 51 anos de prisão por tentar matar recém-nascidos
Vanessa Pedroso Cordeiro aplicou sedativos em 11 bebês de hospital no Rio Grande do Sul em 2009
12/07/2024 às 17:40
STF mantém prisão de cinco investigados no caso “Abin Paralela”
Operação foi deflagrada nesta quinta-feira
12/07/2024 às 16:59
Operadoras de jogos online deverão prevenir lavagem de dinheiro
Medida foi publicada nesta sexta no Diário Oficial
12/07/2024 às 13:25
Carolina Zingler transforma a dor em dança no seu novo single
Transformando o Céu antecipa o próximo disco da artista criadora da Esquina do Jazz, que vive entre Brasil e Portugal
12/07/2024 às 12:01
Incêndio em balsa na Ilha do Marajó deixa uma pessoa desaparecida; veja o vídeo
Ainda não há detalhes sobre o que teria causado o incêndio
12/07/2024 às 11:45
Mudanças climáticas já interferem em secas e cheias na Amazônia
Alerta é de pesquisador do Inpe em evento na SBPC
12/07/2024 às 10:08
Câmara aprova projeto do hidrogênio verde com R$ 18 bi em incentivos
Agora a proposta, de relatoria do deputado Arnaldo Jardim (Cidadania-SP), vai para a sanção do presidente Lula (PT)
12/07/2024 às 08:33
Inclusão de carnes na cesta básica é “vitória” de Lula, diz Fernando Haddad
O ministro da Fazenda ainda destacou que a inclusão das carnes na cesta básica também contou com o apoio de partidos de oposição, como o PL, do ex-presidente Jair Bolsonaro
12/07/2024 às 07:27
Câmara aprova PEC da Anistia, que livra partidos de multas de até R$ 23 bilhões
Pelo texto que acabou sendo votado, os partidos aplicarão apenas 30% dos recursos nas candidaturas de negros
12/07/2024 às 07:22