BUSCAR
BUSCAR
Retorno
Igreja Católica define retorno de missas presenciais no RN para agosto
Em documento, Igreca Católica define que as dioceses decidam sobre os melhores momentos para o reinício das missas presenciais em cada uma delas
Redação
28/07/2020 | 11:07

As missas presenciais em Natal e Mossoró já têm data para retomada. De acordo com um decreto, publicado nesta segunda-feira (27) pela Igreja Católica, o dia 15 de agosto marcará o retorno nestas duas cidades. Em Caicó, a previsão é para o dia 16. A Igreja também divulgou um Plano de Reabertura, onde define que as dioceses decidam sobre os melhores momentos para o reinício das missas presenciais em cada uma delas.

O documento é assinado pelo arcebispo metropolitano de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha, o bispo da diocese de Mossoró, Dom Mariano Manzana, e o bispo da diocese de Caicó, Dom Antônio Carlos Cruz. Junto ao decreto, os bispos da Província Eclesiástica de Natal também publicaram um conjunto de orientações para os padres e fiéis acerca da volta às celebrações presenciais.

De acordo com o Plano, nas arquidioceses de Natal e Mossoró, o calendário aponta para a abertura das igrejas para oração pessoal no dia 10 de agosto, enquanto o reinício das celebrações das missas nas igrejas matrizes, igrejas dos municípios que não são sede de paróquias e capelas de institutos religiosos ocorrerá no dia 15 de agosto.

O início das atividades celebrativas nas capelas que compõem a paróquia está marcado para 19 de setembro, com número reduzido de fiéis. Na diocese de Caicó, estará permitida a abertura das igrejas somente para oração pessoal no dia 16, enquanto no 31 ocorrerá o reinício das celebrações de missas em todas os espaços próprios.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.