Outro lado
Tomba critica decisão que pode lhe tornar inelegível e recebe apoio de deputados
Deputado estadual foi condenado à perda dos direitos políticos em decisão de juíza de Santa Cruz que cassou o mandato da atual prefeita, Fernanda Costa, e do vice
Eduardo Maia/ALRN
Deputado estadual Tomba Farias (PSB)

O deputado estadual Tomba Farias (PSB), condenado pela Justiça de Santa Cruz à perda dos direitos políticos (o que ainda precisa ser confirmado pelo Tribunal Regional Eleitoral para vigorar), se pronunciou sobre o assunto durante a sessão plenária da Assembleia Legislativa nesta quarta-feira, 7. Segundo o parlamentar, alguns veículos de comunicação noticiaram de forma errônea a informação sem explicar como o fato realmente aconteceu, impedindo a compreensão do fato por parte da sociedade.

“Existe um programa em Santa Cruz, registrado na LOA (Lei Orçamentária Anual), que prevê a celebração do Dia do Idoso todos os anos no município. Todos os anos, inclusive em 2016. Idosos, aliás, com mais de 70 anos e, por isso mesmo, sem obrigação de ir às urnas. É essa comemoração que está sendo questionada. Além disso, a maioria de votos na cidade foi de 6.410, uma diferença bem superior ao número de 50 idosos que participaram da atividade”, argumentou o deputado, cuja esposa (Fernanda Costa, atual prefeita do município) foi cassada na mesma decisão.

Ele ressaltou que não foi candidato em 2016 para haver questionamentos sobre a continuidade do seu trabalho na Assembleia Legislativa e que a sucessão municipal em Santa Cruz foi uma campanha com base na prestação de contas do que foi realizado no primeiro mandato pela mesma administração.

Sobre informações divulgadas de maneira errônea na imprensa, Tomba frisou que “veículos de comunicação não podem ser usados para a prática de proselitismo politico”. Ele ainda enfatizou que o exercício do jornalismo não pode ser misturado com o sentimento de não aceitação do resultado das urnas.

Em aparte ao deputado Tomba, o deputado Raimundo Fernandes (PSDB) destacou as ações realizadas pelo parlamentar quando prefeito de Santa Cruz e o compromisso que ele tem com a sociedade santa-cruzense. O deputado Ricardo Motta (PSB) também se pronunciou. Ele disse que “infelizmente o que vale não é o fato, é a versão”, solidarizando-se com o deputado Tomba.

O deputado Gustavo Carvalho (PSDB) pediu aparte para afirmar que, mesmo tendo o apoio da oposição no município de Santa Cruz, é sabido que não foi a celebração do Dia do Idoso que mudou o resultado eleitoral no município.

A deputada Larissa Rosado (PSB) foi a quarta parlamentar a apartear e disse também ter sido vítima de pré-julgamentos e manifestou apoio ao parlamentar. Palavras de apoio também foram externadas pelo deputado Hermano Morais (PMDB), que aproveitou a fala para ressaltar a importância do gesto de esclarecimento público tido por Tomba Farias.

Apartes com argumentos similares foram feitos pelos deputados Carlos Augusto Maia (PSD), Márcia Maia (PSDB), Galeno Torquato (PSD) e George Soares (PR), que chamou a atenção do plenário para a “judicialização da política” no Brasil. Segundo ele, há uma pré-disposição em processar e julgar, antecipadamente, a classe política.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), destacou a atuação colaborativa do deputado Tomba na Casa e sua índole “proba, inteligente e capaz”. Ezequiel Ferreira lembrou a gestão séria e com resultados desenvolvida pelo parlamentar em Santa Cruz, sendo, de acordo com as palavras do presidente, o resultado eleitoral positivo de Tomba no município fruto exclusivo do muito trabalho por ela realizado.