BUSCAR
BUSCAR
Alerta
Serviço Secreto reforça segurança de Joe Biden em reta final
Segundo jornal, agentes estão indo para um centro de convenções em Washington onde a equipe do democrata aguarda os resultados
R7
06/11/2020 | 14:21

O Serviço Secreto dos Estados Unidos começou nesta sexta-feira 6 a aumentar o número de agentes que protegem Joe Biden, o candidato do Partido Democrata à presidência do país, diante da possibilidade de que ele saia vencedor das eleições, segundo apurou o jornal The Washington Post.

O vice do governo de Barack Obama já contava com segurança fornecida pela agência federal americana desde março, quando aconteceu a indicação da legenda para concorrer à Casa Branca, enfrentando o atual presidente e candidato à reeleição, Donald Trump.

De acordo com o Post, os novos agentes designados estão se dirigindo para um centro de convenções em Washington, cidade onde Biden vive e onde a equipe do democrata aguarda os resultados da apuração nos estados do Arizona, Carolina do Norte, Geórgia, Nevada e Pensilvânia, cruciais para o desfecho das eleições.

De acordo com projeções da imprensa americana, o ex-vice conta com 264 delegados no Colégio Eleitoral, que de fato, escolhe o presidente dos EUA – embora haja divergências sobre os 11 do Arizona -, enquanto Trump obteve até o momento 214. Ao todo, é preciso alcançar 270 votos para vencer a disputa.

Depois que deixou a Casa Branca, em 2015, no fim do governo de Obama, Biden permaneceu sob a proteção do Serviço Secreto por mais seis meses. Na época, ganhou o codinome ‘Celtic’ (Celta), dos agentes, denominação que voltou a ser utilizada durante a campanha eleitoral, conforme veiculou a emissora americana CNN.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.