BUSCAR
BUSCAR
Relato
Serial killer Lázaro obrigou refém a fazer declaração de amor para a mulher
Maníaco pediu para caseiro se declarar à companheira enquanto os dois eram amarrados. Ele fez mulher cozinhar e roubou pertences da casa
Metrópoles
20/06/2021 | 11:04

Procurado pelas forças de segurança desde a chacina no Incra 9, em Ceilândia, na madrugada de 9 de junho, Lázaro Barbosa, 32 anos, chegou a obrigar um refém a fazer uma declaração de amor para a mulher. Na ocasião, Lázaro invadiu a casa, rendeu a família, amarrou os moradores e roubou pertences da casa.

Segundo o caseiro da chácara, Joberson Sousa de Jesus, 29 anos, o suspeito perguntou há quanto tempo ele e a mulher, Simone Silvo e Silva, 29 anos, estavam juntos. Em seguida pediu para que o marido se declarasse para a mulher, enquanto os dois eram amarrados juntos.

“Quando a gente falou que era casado há 10 anos, ele disse ‘faz uma declaração para sua mulher’, eu disse que não era bom com as palavras, mas ele mandou eu começar a declaração com ‘eu te amo’”, contou o caseiro ao Metrópoles.

O casal e seus três filhos, de 3, 6 e 10 anos, foram mantidos reféns por cerca de três horas na noite seguinte à chacina na Fazenda Vidal. Joberson contou que a família fechou a casa para dormir, mas a luz acabou às 20h30. “Nós achamos estranho, a luz acabou só aqui. Quando a luz voltou nós ficamos mais tranquilos.”

O caseiro relatou que o homem chutou a porta e entrou na casa para roubar a família. “Procurou dinheiro, arma, e queria que eu fizesse comida pra ele, fez a gente beber cerveja com ele também”.

Simone conta que o homem chegou bem nervoso, mas quando viu que a família estava assustada e que iria colaborar, se acalmou. “É pesado demais passar por isso. Muito angustiante. Todo momento nós achávamos que seria nosso último suspiro”, conta.

Joberson contou, emocionado, que a família fez o possível para que saíssem vivos do lugar, mas que nunca irão esquecer o ocorrido. “Se a gente é adulto e esse episódio não sai da nossa cabeça, imagina como isso tá na cabeça das crianças. Eles nem querem ficar aqui em casa mais”, contou o pai.

Pedido de perdão

Segundo Simone, ao sair da chácara cerca de 0h, Lázaro pediu desculpa para a família. “Ele disse ‘vocês me perdoam gente’”. A mulher afirma que Lázaro estava sóbrio e ciente de tudo que fazia.

Durante o assalto, Lázaro contou para a família que a Polícia estava perdendo tempo o procurando, que ele não estava com Cleonice Marques. “Ele disse que não assaltou a casa sozinho. Só matou o pessoal porque eles reagiram, mas não estava com a Cleonice”, afirmou Simone.

Personalidade

Subjugar e humilhar os homens, além de provocar pânico e satisfazer os desejos sexuais mais lascivos durante os estupros, são sentimentos que movem o psicopata Lázaro Barbosa Sousa. O perfil da personalidade do maníaco foi traçado pela psiquiatra forense e professora da Escola Superior da Polícia Civil (ESPC) do Distrito Federal Conceição Krause, durante entrevista concedida ao Metrópoles.

O criminoso, que há 11 dias é alvo da maior caçada policial já ocorrida no Entorno do DF, foi classificado pela especialista como um homem com sinais de psicopatia que o impedem de sentir amor, compaixão, carinho, afeto ou qualquer tipo de empatia pela vida humana.

“Ele é desprovido de qualquer ética moral. Fica claro que Lázaro trata a vida humana como simples objeto utilitário. Usa a vítima para alcançar um objetivo determinado ou satisfazer um desejo. Depois descarta, muitas vezes, de forma fatal. Estupra e mata para se alimentar do pânico que isso provoca na vítima”, assinala Conceição Krause.

Plano de fuga

Em coletiva de imprensa na noite desta sexta-feira 18, o secretário de Segurança de Goiás, Rodney Miranda, comentou as buscas ao maníaco Lázaro Barbosa, 32 anos. De acordo com o chefe da pasta, a habilidade do criminoso em andar pela mata dificulta o trabalho policial. “Ele está na zona de conforto e continua num plano ensandecido de fuga”, disse.

Rodney Miranda também afirmou achar que homens da Força Nacional não serão mais enviados ao município de Edilândia (GO), onde as buscas ao suspeito se concentram. “Acho que eles não vêm mais”.

Ainda de acordo líder da força-tarefa, Lázaro foi visto novamente, mas conseguiu escapar. “Cheguei a ver o Lázaro a 1 quilômetro de distância. As equipes estão lá”. Rodney destacou que, agora, a coalizão trabalha mais com inteligência do que com número de homens envolvidos na operação. “Agora é mais inteligência do que movimentação”.

Ferido

O secretário disse que tudo indicava que Lázaro foi baleado em confronto com a coalizão formada para capturá-lo e, desde então, tenta estancar o sangue com torniquete improvisado. “Esse torniquete e esse pano foram encontrados pelos cães. Por isso achamos que ele está amarrando o ferimento, que deve estar sangrando”, disse o secretário de Segurança de Goiás, nessa quinta 17.

Lázaro é suspeito de ter cometido vários crimes no Distrito Federal, incluindo a chacina de uma família, e em outros estados. As polícias do DF e de Goiás montaram uma força-tarefa para encontrá-lo.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.