BUSCAR
BUSCAR
Educação
Prefeito suspende retorno às aulas em Natal a partir do dia 10 de agosto
Prefeitura do Natal decide por revogar autorização das aulas presenciais para as instituições privadas de ensino na capital potiguar prevista para acontecer no dia 10 de agosto, após pressão popular e de gestores de escolas; Governo do Estado também define prorrogar o reinício das aulas da rede estadual previsto inicialmente para 14 de agosto
Jalmir Oliveira
30/07/2020 | 00:56

O prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB), decidiu suspender o retorno às aulas nas escolas particulares previsto para acontecer em 10 de agosto. A decisão também adia a retomada da rede pública municipal, que aconteceria em 14 de setembro. A decisão foi revista após forte pressão de gestores instituições de ensino e de pais de alunos, que se posicionaram de forma contrária à medida.

A reabertura das escolas particulares foi anunciada na última segunda-feira (27). A medida foi tomada com base nas quedas dos índices de contágio da Covid-19 e da ocupação hospitalar na cidade. Segundo o boletim de taxa de internação da Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS) desta quarta-feira (29), os leitos para pacientes infectados com o novo coronavírus tinham 38% de ocupação.

De início, segundo o prefeito Álvaro Dias, a rede particular poderia reiniciar atividades a partir do próximo dia 10 de agosto. Já o sistema público de ensino do Município, no dia 14 de setembro. A medida contou com o parecer favorável do comitê científico municipal de enfrentamento à Covid-19 – colegiado que tem norteado as medidas tomadas pela gestão municipal.

O prefeito avaliava que era chegada a hora da reabertura das escolas privadas na cidade. “Como todas as outras medidas que adotamos, essa foi mais uma a seguir critérios técnicos e acontece em um momento de forte desaceleração do coronavírus em Natal. Aliás, a capital potiguar lidera esse cenário entre as capitais brasileiras, de acordo com levantamento feito pelo consórcio dos maiores órgãos de imprensa do país. Portanto, é mais do que necessária a retomada das aulas, seguindo todas as recomendações de segurança, com as escolas se preparando e tomando os devidos cuidados”, disse.

No entanto, após fortes críticas nas redes sociais, bem como a falta de consenso das próprias instituições de ensino em retomar as aulas no dia proposto pela prefeitura municipal, Álvaro Dias decidiu por suspender a data de reabertura das salas de aula nas escolas particulares da capital.

“Em razão de solicitações que recebeu durante todo o dia de pais, professores e gestores preocupados com as possíveis consequências que a volta às aulas poderia ocasionar na saúde dos seus filhos e alunos, embora tenha tido um posicionamento, com base em dados estatísticos e epidemiológicos, a princípio favorável do comitê científico municipal, o prefeito Álvaro Dias, sensível aos apelos lhe foram dirigidos, decidiu postergar a definição da data de retorno das aulas presenciais”, detalhou publicada pela prefeitura do Natal.

Mesmo antes da suspensão para o retorno das aulas presenciais prevista para o dia 10 de agosto, boa parte das instituições de ensino particulares da capital tinha definido por não acatar a retomada das atividades. Segundo o presidente do Sindicato das Escolas Particulares de Natal, Alexandre Marinho, as instituições de ensino da cidade estão prontas, mas ainda precisa definir o protocolo sanitário e as medidas de segurança para a comunidade escolar.

“Estamos há 132 dias sem aulas. A gente sente que há uma diminuição dos casos [Covid-19] e, com isso, uma redução no número de leitos ocupados em hospitais. Abriu comércio, abriu restaurante, abriu shopping, mas as escolas ficaram por último. Todas as unidades terão a responsabilidade e os cuidados com as crianças e adolescentes”, disse ele, em entrevista à TV. Em Natal, as aulas foram suspensas em 18 de março.

O Agora RN procurou a direção de escolas da capital para saber qual seria o posicionamento caso a retomada acontecesse no dia 10 de agosto. Das instituições ouvidas, apenas o colégio CEI da Romualdo Galvão sinalizou pelo retorno. Segundo a assessoria de imprensa da escola, as turmas serão divididas para alternar as aulas presenciais. Ou seja, uma parte fica remota enquanto outra parte estará presencial. De início, as aulas serão retomadas na educação infantil. Os demais níveis ainda terão datas definidas para o retorno.

O diretor acadêmico do Colégio Porto, André Cury, disse que aguarda a publicação oficial do decreto municipal autorizando o retorno para decidir, com base em informações mais precisas, o reinício do calendário escolar. “Enquanto aguarda os documentos oficiais, o colégio tem se preparado pedagogicamente e sanitariamente para o retorno. Estamos estudando protocolos internacionais, do Ministério da Educação e de outros estados que já se organizaram com relação a essas medidas sanitárias”, disse.

Ainda segundo ele, a instituição de ensino tem promovido mudanças estruturais para a segurança biossanitária de toda a comunidade escolar. “O Colégio Porto está se preparando de maneira eficiente, com a demarcação do piso para que aluno possa manter o distanciamento social adequado, distribuição dos lugares onde os alunos poderão sentar nas salas de aula, o uso obrigatório de máscaras, aferição de temperatura, local para higienização dos calçados, distribuição de álcool gel em vários lugares da escola. Ficaremos sempre muito atentos a todos esses procedimentos e à fiscalização dessas medidas”, reforçou.

Os colégios Salesiano e Contemporâneo também sinalizaram que não iriam seguir a data proposta de 10 de agosto. Os diretores informaram que o assunto será discutido ao longo dos próximos dias.

Fátima vai prorrogar suspensão de aulas presenciais da rede estadual

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), decidiu nesta quarta-feira (29) adiar a retomada das atividades das aulas presenciais prevista para acontecer no dia 17 de agosto. A nova previsão de retorno dos alunos das redes pública e privada às salas de aula, segundo a governadora, será definida pelo Comitê Científico Estadual de Enfrentamento à Covid-19.

“Nós temos de ter muito cuidado com o contágio. O comitê setorial da educação vai se reunir para discutir o calendário de retorno das atividades escolares. Mas a data do dia 17 não será mantida. A decisão foi a de prorrogar o retorno das aulas presenciais no Rio Grande do Norte”, disse a governadora Fátima Bezerra, durante a coletiva de imprensa sobre o boletim diário da situação epidemiológica da Covid-19 no Estado.

A previsão de retomada das atividades educacionais foi anunciada pela Secretaria Estadual de Educação e Cultura (Seec) no início do mês. No entanto, após críticas de entidades ligadas aos trabalhadores em educação, o Governo do Estado decidiu prorrogar a suspensão das aulas. No Rio Grande do Norte, as escolas – públicas e privadas – estão com as portas fechadas desde o dia 18 de março.

O anúncio da governadora também ocorre um dia após a Prefeitura do Natal divulgar as datas para a retomada das aulas em instituições privadas de ensino e das escolas da rede municipal. No entanto, após pressão popular, a prefeitura decidiu por suspender a retomada

“Eu acho precipitado [retorno das aulas em Natal]. Não é um segmento qualquer; representa cerca de 30% da população. A pandemia foi vencida? Não foi. O coronavírus continua por aí. Por isso, ainda se faz necessário o isolamento e o distanciamento”, disse Fátima Bezerra.

Ainda de acordo com ela, a retomada das atividades escolares no Estado será definida por critérios científicos. Ao Agora RN, a Secretaria Estadual de Educação revelou que a nova data para as aulas ainda será definida. “Mas não será antes de setembro, respeitando o entendimento do comitê científico”, encerrou a pasta.

Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.