BUSCAR
BUSCAR
Ação policial
PMRN alega que entrou na casa do prefeito de São Pedro por suspeita de atropelamento; veja nota
Prefeito Miguel Cabral havia questionado ação da polícia na noite desta quarta-feira 15
Redação
16/11/2023 | 16:25

A Polícia Militar do Rio Grande do Norte emitiu uma nota, no final da manhã de hoje 16, em resposta às demandas de esclarecimento feitas pelo prefeito de São Pedro, Miguel Cabral, em relação à ação policial ocorrida em sua casa. Segundo a PM, a abordagem teve como motivação a suspeita de atropelamento, e o filho do prefeito, Gustavo Cabral, teria tentado utilizar de influência para dar uma “carteirada”.

Conforme a nota divulgada pela Polícia Militar, “durante toda a abordagem, o cidadão alegou ser filho do prefeito da cidade e insinuando que não poderia ser abordado. A Polícia Militar esclarece que na abordagem foram tomadas às providências diante das irregularidades constatadas, incluindo a condução do caso aos órgãos competentes para apuração e adoção das medidas cabíveis”.

De acordo com a PM, a ação na residência do prefeito teve origem na suspeita de um atropelamento ocorrido no município. Gustavo Cabral estaria sem documentos quando foi abordado e concordou em acompanhar os policiais até sua residência (que é também a casa do prefeito) para apresentar a documentação – leia a nota na íntegra ao final da matéria.

Na noite de quarta-feira 15, o prefeito Miguel Cabral denunciou que sua residência foi invadida por policiais militares e que seu filho foi detido “sem justificativa”. Em um vídeo, ele cobrou esclarecimentos da governadora Fátima Bezerra e do secretário de Segurança Pública, Coronel Araujo, alegando existir uma perseguição contra ele.

NOTA DA POLÍCIA MILITAR

A Polícia Militar do Rio Grande do Norte (PMRN) informa que, nesta última quarta-feira (15), durante a execução da Operação PAZ, na cidade de São Pedro, duas viaturas em serviço na RN 203 avistaram um cidadão em uma motocicleta, o qual alegou ter sido quase atropelado por um veículo. Diante das características repassadas, os policiais iniciaram imediatamente as diligências para localizar o veículo em questão.

Ao localizar o veículo conduzido por um homem, foi constatado um dano no para-brisa, sugerindo a possibilidade de um impacto. Durante a abordagem, o homem apresentou comportamento suspeito, fornecendo informações contraditórias sobre sua identidade. Ao solicitar seus documentos, o condutor afirmou não tê-los consigo, se dispondo a levá-los em sua residência.

Ao chegar na residência do homem, os policiais constataram a presença de aves silvestres, que segundo a legislação ambiental vigente, configuram-se como animais protegidos. A criação ilegal de animais silvestres em cativeiro é proibida pela Lei 9.605/98 (Lei dos crimes ambientais). Diante dessa situação, a equipe conduziu o homem à delegacia para uma identificação mais detalhada, a fim de esclarecer as incongruências nas informações prestadas.

Ressaltamos que, durante toda a abordagem, o cidadão alegou ser filho do prefeito da cidade e insinuando que não poderia ser abordado. A Polícia Militar esclarece que na abordagem foram tomadas às providências diante das irregularidades constatadas, incluindo a condução do caso aos órgãos competentes para apuração e adoção das medidas cabíveis.

A Polícia Militar reitera seu compromisso com a segurança pública e o cumprimento da lei, garantindo a transparência e a imparcialidade em todas as ações realizadas no exercício de suas funções.”

Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.