BUSCAR
BUSCAR
Situação
Governo de São Paulo multa Bolsonaro, Tarcísio e Eduardo em R$ 552,71 por não usarem máscara
Lei estadual obriga o uso do equipamento em público durante a pandemia; presidente, ministro e deputado apareceram sem máscara em motociata
O Globo
12/06/2021 | 13:43

O governo de São Paulo multou neste sábado 12 o presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) por não usarem máscara em público. O trio apareceu sem o equipamento facial durante a motociata que percorreu algumas das principais vias expressas da capital paulista na manhã deste sábado. O valor da autuação é de R$ 552,71.

O uso de máscaras em público é obrigatório no estado de São Paulo desde maio de 2020, conforme decreto nº 64.959 e resolução SS 96. O uso de máscaras é defendido por especialistas e autoridades sanitárias em todo o mundo como uma medida eficaz para evitar a disseminação do coronavírus.

Na última semana, Bolsonaro disse que pediria ao minsitro da Saúde, Marcelo Queiroga, que desobrigasse o uso de máscara para quem já foi infectado pela Covid-19 ou vacinado. Alvo de críticas de autoridades de saúde e políticos, no dia seguinte, ele disse que a medida seria de responsabilidade do ministro e de governadores.

No auto de infração, a que o GLOBO teve acesso, a agente sanitária escreve que “medidas não farmacológicas são fundamentais para a prevenção e controle da pandemia” e que “o uso de máscara de proteção facial é amplamente preconizado pela comunidade científica internacional”.

A agente lembra, ainda, que o estado de São Paulo “conta com mais de 3,4 milhões de casos (de Covid-19) e mais de 117 mil óbitos, com uma taxa de ocupação de leitos de UTI de 82,1%, sendo que muitos hospitais públicos e privados já extrapolaram os 100% de ocupação”.

Quando participou de uma motociata no Rio, no mês passado, Bolsonaro também estava passível de levar multa por aparecer em via pública sem máscara, mas a prefeitura e governo do estado não aplicaram a autuação.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), é um adversário declarado do presidente e tem apostado em medidas de combate à transmissão do coronavírus e na vacinação como ativos para se colocar na disputa pela Presidência da República em 2022 — antes da candidatura, porém, ele precisa vencer a disputa interna em seu partido para ser o indicado.

Doria, inclusive é alvo de críticas na motociata deste sábado. Bolsonaristas criticam suas medidas que fecharam o comércio durante a fase mais aguda da pandemia. Além disso, Bolsonaro tem falado em lançar para o governo do estado o ministro Tarcísio, que, até o momento, não demonstrou interesse em aceitar a missão.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.