BUSCAR
BUSCAR
Justiça
Cosern deve pagar R$ 8 mil para morador por instalação inadequada de poste e fiação
De acordo com o julgamento, a concessionária de energia elétrica instalou o poste em local inadequado e, desta forma, não é possível imputar ao consumidor a responsabilidade de arcar com os custos da remoção
Redação
23/09/2020 | 09:56

A 2ª Câmara Cível do TJRN negou provimento a um recurso de Apelação Cível movido pela Companhia Energética do Rio Grande do Norte (Cosern) e manteve sentença da 1ª Vara Cível da Comarca de Pau dos Ferros que condenou a empresa a realizar a retirada/deslocamento de um poste (por instalação inadequada) na propriedade de um morador, além de pagar a este a quantia de R$ 8 mil a título de indenização por danos morais, acrescidos de juros e correção monetária.

Instalação inadequada

De acordo com o julgamento, a concessionária de energia elétrica instalou o poste em local inadequado e, desta forma, não é possível imputar ao consumidor a responsabilidade de arcar com os custos da remoção.

A Cosern alegou em seu recurso que a instalação do poste antecedeu a construção do imóvel e que assim os custos referentes a serviços como deslocamento ou remoção de poste ou de rede são de responsabilidade do solicitante, pois construiu o imóvel após a instalação da rede elétrica.

Alegou também que o risco foi criado pelo proprietário uma vez que, ao construir sua residência, avançou o espaço público, acrescentando que é de sua responsabilidade exclusiva o custeio das obras requeridas, uma vez que se trata de melhoria individual do serviço.

Resolução não aplicável

A decisão ressaltou que, conforme o que já foi observado pelo juiz inicial, não se aplica ao caso o artigo 102 da Resolução nº 414/2010 da Agência de Energia Elétrica, a qual prevê que o deslocamento ou remoção de poste de rede devem ser cobrados do consumidor; uma vez que no caso concreto a instalação do equipamento se deu indevidamente e só foi providenciada a retirada dois anos após os primeiros pedidos oficiais.

“Corroboram com esta assertiva as fotografias trasladadas dos autos (folhas 74/75) que demonstram com clareza que o poste e a fiação em questão se encontravam dentro do terreno do autor e impediam a ampliação do seu imóvel através de uma construção verticalizada”, define a relatoria da apelação.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.