BUSCAR
BUSCAR
Declaração
Cantora Ana Paula Valadão afirma que Aids é consequência da homossexualidade
“A pastora ao associar o HIV a comunidade LGBTI, comete o mesmo equivoca daqueles que quiseram ligar a pandemia do coronavirus a China. É crime, vamos representa-la por LGBTFOBIA, nos termos da decisão do STF”, disse o advogado da Aliança Nacional LGBTI+
Redação/ Istoé
12/09/2020 | 16:12

Em programa de televisão, a cantora gospel Ana Paula Valadão afirmou que a Aids é culpa das uniões homoafetivas. Na conversa, no programa Diante do Trono da Rede Super, ela também afirmou que ser gay é pecado. A cantora chegou a ser um dos assuntos mais comentados no Twitter deste sábado, 12. As informações são da Istoé.

“Muita gente acha que isso é normal. Isso não é normal. Deus criou o homem e a mulher e é assim que nós cremos. Qualquer outra opção sexual é uma escolha do livre arbítrio do ser humano. E qualquer escolha leva a consequências”, opinou.

“A Bíblia chama de qualquer escolha contrária ao que Deus determinou, de pecado. E o pecado tem uma consequência que é a morte”, afirmou. “Taí a Aids para mostrar que a união sexual entre dois homens causa uma enfermidade que leva à morte e contamina as mulheres, enfim… Não é o ideal de Deus”, disse.

Após a repercussão do caso, a Aliança Nacional LGBTI+ anunciou que vai entrar com um processo contra Ana Paula Valadão por crime de LGBTfobia. “A pastora ao associar o HIV a comunidade LGBTI, comete o mesmo equivoca daqueles que quiseram ligar a pandemia do coronavirus a China. É crime, vamos representa-la por LGBTFOBIA, nos termos da decisão do STF”, disse o advogado e coordenador da entidade, Marcel Jeronymo à revista Carta Capital.

*Com informações da Istoé

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.