BUSCAR
BUSCAR
Trânsito
Área de risco para motoristas, Via Costeira continua sem controle de velocidade
A Via Costeira, na zona Sul de Natal, foi notícia na mídia tradicional e seu nome repercutiu bastante nas redes sociais no início desta semana após uma série de batidas
Anderson Barbosa
18/09/2020 | 05:05

Além de principal corredor hoteleiro da capital potiguar, a Via Costeira de Natal também está se tornando uma das rotas mais arriscadas para turistas e residentes que trafegam entre as zonas Leste e Sul da cidade. De janeiro a agosto deste ano, mais de 30 acidentes foram registrados na avenida Senador Dinarte Mariz, nome oficial da via. Porém, as perspectivas de melhorias no local não são muito boas, pois ainda não há prazos definidos para a volta dos redutores de velocidade nem da recuperação da sinalização. Faz 10 anos que os radares foram desligados e retirados da avenida.

A Via Costeira foi notícia na mídia tradicional e seu nome repercutiu bastante nas redes sociais no início desta semana após uma série de batidas, derrapagens e capotamentos. Por sorte ninguém se machucou gravemente. Óleo espalhado na pista (que ninguém sabe de onde veio) fez vários veículos ficarem sem controle. Pelo menos dois carros bateram em bordas de calçadas e em defensas de metal e terminaram com os pneus para o alto. Sustos e prejuízos imensos.

A equipe do Agora RN percorreu os 10 quilômetros da Via Costeira a 70 quilômetros por hora, velocidade máxima permitida no local, e constatou que o asfalto não apresenta problemas. A exceção é a sinalização, que requer reparos. Ou seja, a falta de redutores de velocidade e da fiscalização eletrônica, aliada à imprudência dos motoristas, são a razão maior para tantos acidentes.

O Agora RN conversou com o diretor do Departamento de Estradas de Rodagens do Rio Grande do Norte (DER-RN) sobre a situação da avenida. De acordo com Manoel Marques Dantas, quanto ao estado de conservação das pistas, não há muito o que ser feito. “O pavimento está de regular para bom. Já a questão da sinalização e dos redutores de velocidade, aí é com o Detran”, disse ele.

A única melhoria que o DER deve fazer este ano ao longo da Via Costeira, ainda de acordo com Manoel Marques, é a substituição ou recuperação das defensas de metal que estão danificadas. “Devemos começar logo este trabalho, principalmente na área próxima do hotel Pirâmide, onde as defensas estão mais prejudicadas”, afirmou.

O custo do serviço, que deve ficar pronto até o fim de 2020, deve ser de aproximadamente R$ 40 mil, ainda segundo o diretor do DER.

Utopia

Sobre outros serviços ou melhoras que a Via Costeira pode receber, Manoel Marques citou alguns que ele considera mais que um desejo. “É uma utopia. Meu sonho é poder construir uma ciclovia do lado das dunas, de ponta a ponta da Via Costeira, até emendar com outra ciclovia na Avenida Engenheiro Roberto Freire, em Ponta Negra. Mas, isso é algo que os ambientalistas não deixam. Não deixam eu entrar sequer cinco metros para dentro da área das dunas”, afirmou.

“E ainda tenho o desejo de podermos colocar defensas em toda a extensão da Via Costeira. Isso é algo, inclusive, que poderíamos fazer também em toda a Rota do Sol. Não me importa se vai ficar feio, o que importa é salvar vidas”, destacou.

“Mas, tanto para a ciclovia como para a instalação de defensas em toda a avenida, precisamos também diminuir o número de postes. E isso só é possível passando todo o cabeamento e fios da área por baixo da terra. Além de melhorar o paisagismo da região, ajudaria as empresas a diminuir o custo de manutenção. Todos sabemos que a maresia na Via Costeira é um problema e tanto”, acrescentou.

Realidade

Além do serviço de recuperação das defensas – como são chamadas as estruturas de ferro horizontais que impedem que os veículos passem por cima de determinados locais da avenida, como nas áreas de ribanceira e curvas mais acentuadas ou trechos sinuosos – o diretor do DER disse que pretende acionar a Cosern para que ela coloque defensas ao redor dos postes, o que não existe atualmente. “Não quero proteger os postes. Meu pensamento é proteger a vida, os motoristas”, ressaltou Manoel Marques.

Reinstalação de redares tem processo concluído, mas pandemia atrasa abertura de licitação e serviço segue sem data para execução

Além de ouvir o DER, o Agora RN também procurou o Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran-RN). Por meio da Coordenadoria de Operações, foi informado que “o processo que trata da instalação da fiscalização eletrônica nas rodovias estaduais se encontra com todo o Termo de Referência concluído, apontando quais os equipamentos que devem ser utilizados, quantidade de pontos de fiscalização e o levantamento técnico das rodovias que vão receber os radares”. Porém, tudo continua sem data para execução em razão da pandemia do novo coronavírus.

“A fase seguinte do processo é a abertura da licitação para contratação da empresa responsável pela instalação e monitoramento dos pontos de fiscalização. A celeridade do processo de licitação foi comprometida devido o período de pandemia, porém é uma das prioridades da gestão do Detran”, complementou o órgão.

O Detran ainda ressaltou que as primeiras vias que deverão receber a fiscalização eletrônica serão a Via Costeira e as avenidas João Medeiros Filho, Engenheiro Roberto Freire e Omar O’Grady.

Acidentes

O Departamento Estadual de Trânsito também falou de acidentes. Disse que, por intermédio do Comando de Policiamento Rodoviário Estadual (CPRE), “o Detran vem intensificando a fiscalização presencial do policiamento, o que já mostra uma redução de acidentes, a exemplo do que vem sendo registrado na Via Costeira, com 38% menos acidentes comparando o primeiro semestre de 2020 com 2019”.

Números

Acidentes na Via Costeira

De janeiro a agosto de 2019: 50
De janeiro a agosto de 2020: 31

Fonte: CPRE/RN; Setor de Estatística, DETRAN/RN.

A Via Costeira

A Avenida Senador Dinarte Mariz, mais conhecida como Via Costeira, é uma via expressa litorânea de aproximadamente 10 km de extensão, que faz a ligação entre as zonas Sul e Leste de Natal.

Fica entre o Oceano Atlântico e as dunas do Parque das Dunas. O lado da praia é tomado por hotéis e alguns restaurantes. Do outro lado fica o Parque das Dunas – uma ampla área verde preservada pelo Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema).

As bases para a construção da Via Costeira foram iniciadas no governo de Cortez Pereira (1971-1975). Passada a gestão de Tarcísio Maia (1975-1979), a obra foi finalmente efetivada no governo de Lavoisier Maia (1979-1983). A inauguração, no entanto, aconteceu somente em 1985, já no governo de José Agripino. Em 2009, a Via Costeira foi duplicada pela então governadora Vilma de Faria, sendo a obra inaugurada em 2010.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.