BUSCAR
BUSCAR
Paralisação
Com greve dos vigilantes, bancos fecham e visitas no Walfredo são suspensas
Vigilantes, que fizeram uma parada de advertência no último dia 7, cobram das empresas um reajuste salarial de 13,9% e o cumprimento de um acordo coletivo firmado no ano passado
Redação
26/02/2018 | 11:34

Trabalhadores em vigilância do Rio Grande do Norte iniciaram na manhã desta segunda-feira, 26, uma greve por tempo indeterminado. Por causa da paralisação, agências bancárias suspenderam o atendimento ao público e o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, em Natal, proibiu visitas a pacientes internados em enfermarias.

Os vigilantes, que fizeram uma parada de advertência no último dia 7, cobram das empresas um reajuste salarial de 13,9% e o cumprimento de um acordo coletivo firmado no ano passado.

Segundo o coordenador geral do  Sindicato Intermunicipal dos Vigilantes (Sindsegur), Pablo Henrique de Lima, as empresa de seguro no Rio Grande do Norte estão adotando as novas regulamentações criadas com a reforma trabalhista em detrimento do acordo coletivo firmado com a categoria em 2017. “Querem passar por cima do acordo. Apesar de a nova legislação estar em vigor, o que foi acordado vale mais que o legislado”, avalia.

Nesta terça-feira, 27, os profissionais da segurança privada farão uma nova manifestação na Avenida Rio Branco, na Cidade Alta, no trecho em frente a uma agência do Banco do Brasil. O local foi palco dos protestos ocorridos durante a manhã desta segunda-feira, 26.

Até às 11h30 da manhã desta segunda-feira, o atendimento nos bancos continuava suspenso em Natal. Apenas os caixas eletrônicos das agências funcionavam.

Além das agências bancárias, instituições públicas também registraram a ausência dos guardas patrimoniais. O Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel já suspendeu as visitas para pacientes internados em enfermarias. Somente 30% dos profissionais estavam trabalhando nesta segunda-feira, 26. Para pacientes internados em Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs), as visitas permanecem liberadas.

A situação também afetou a enfermaria do Hospital Dr. José Pedro Bezerra, o hospital Santa Catarina, na zona Norte de Natal.

Avenida Rio Branca fechada por vigilantes

Trabalhadores fecharam a Avenida Rio Branco nesta manhã – Foto: José Aldenir/Agora Imagens

O Sindicato das Empresas de Segurança Privada do RN (Sindesp) disse, em nota, que “está à disposição para negociar dentro das regras que regem a nova legislação trabalhista” e que as mudanças não vão interferir na remuneração atual dos vigilantes. O sindicato patronal afirmou também que o salário da categoria no estado é o maior do Nordeste: R$ 1.684,77.

O Sindesp considera ainda que a greve é abusiva, já que uma liminar determina que apenas 30% dos trabalhadores participem do movimento paredista. Os vigilantes, que mantém a greve, afirmam que a continuidade da paralisação será avaliada diariamente.

 

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.