BUSCAR
BUSCAR
Legal
Presidente da Associação de Magistrados defende: “juiz é um servidor diferenciado”
Herval Sampaio afirma que enfraquecer o judiciário pode significar um prejuízo para a população como um todo, inclusive, para a imprensa
Redação
27/03/2018 | 11:48

Os juízes têm uma profissão diferenciada, por isso, merecem auxílios e benefícios, além de um salário elevado para a média das demais profissões e ainda 60 dias de férias por ano. Pelo menos, foi isso que defendeu o novo presidente da Associação de Magistrados do Rio Grande do Norte, Herval Sampaio, em entrevista concedida na noite desta segunda-feira, 26. Segundo Herval, todos os benefícios da carreira se justificam porque, primeiro, estão previstos em lei e, segundo, porque o cargo exige muito de seus ocupantes.

A declaração foi dada quando o magistrado foi questionado sobre o pagamento do auxílio moradia retroativo aos juízes do Rio Grande do Norte, que receberam em 2017, alguns, uma bolada de mais de R$ 100 mil. “Não vejo nada de imoral e acho que temos que tratar com seriedade o tema. Outros tribunais pagaram. O juiz tem uma complexidade do cargo que tem um concurso público dificílimo, onde exige série de restrições. Inclusive, o juiz não pode ter nenhuma outra atividade a não ser professor. O juiz não tem hora e expediente, trabalha dia e noite. O juiz é sim, sem querer desmerecer, um servidor público diferenciado”, analisou.

Herval Sampaio também recorreu a esse “diferencial” da carreira de juiz para justificar a necessidade de outro item considerado, por parte da sociedade, como um benefício deles: os 60 dias de férias. “O cargo do juiz é diferenciado. Como disse, o cargo do juiz é diferenciado. Quer tirar os 60 dias, vamos tirar, mas vamos lembrar: é um trabalho desgastante demais. Não dá para comparar, como todo respeito (as outras categorias)”, analisou.

O juiz também destacou que enfraquecer a categoria dele, como tem sido feito quando se criticam alguns benefícios pagos aos magistrados, é algo perigoso para o futuro do País. “Acho que na hora que a gente começar a pagar mal o juiz, como tem algumas republiquetas que pagam mal como tem o judiciário amordaçado, vocês da imprensa, que tem que garantir a liberdade de imprensa, falar inclusive e criticar os juízes, o executivo e o legislativo, vocês vão se arrepender no futuro se estiverem de alguma maneira contribuindo para deixar o judiciário fraco”, acrescentou.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.