BUSCAR
BUSCAR
Paralisação
Estado e Prefeitura do Natal acionam justiça contra a greve dos professores
Segundo a Secretaria Estadual de Educação (Seec), 35% das 610 unidades escolares estaduais sofrem com os efeitos da greve
Redação
29/03/2018 | 11:46

O Governo do Estado e a Prefeitura do Natal ingressaram com ações judiciais pedindo o reconhecimento da ilegalidade da greve dos professores das redes públicas estadual e municipal, respectivamente.

Os profissionais da educação paralisaram as atividades há no início da semana e exigem reajuste de 6,81% do piso salarial.

Segundo as ações judiciais, as procuradorias alegam que não há fundamentação para a greve. As medidas pedem o reconhecimento da ilegalidade da paralisação, o retorno imediato dos professores às salas de aula e a aplicação de multa ao Sindicato dos Trabalhadores da Educação (Sinte), em caso de descumprimento.

Segundo a Secretaria Estadual de Educação (Seec), 35% das 610 unidades escolares aderiam – de forma total ou parcial – à greve. A paralisação já interfere no andamento do projeto de educação.

O Governo do Estado já apresentou cinco propostas (todas beneficiando ativos e inativos) de reajuste aos professores. No entanto, as medidas foram rechaçadas pelos docentes estaduais.

Até o momento, segundo a Seec, não há uma nova proposta para ser apresentada.

A Secretaria Municipal de Educação (SME) ainda não apresentou balanço sobre a paralisação.

 

 

 

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.