sexta,
Defesa
Em nota, ABC Futebol Clube entra em defesa de Henrique Alves
Nota lançada no site oficial do clube defende ações de Henrique Alves e afirma que investimento concedido aos clubes potiguares não possuem índole criminosa
Marcelo Camargo
Ex-ministro, Henrique Alves

Em nota assinada pelo presidente Judas Tadeu Gurgel e lançada no site oficial do ABC Futebol Clube nesta quarta-feira, 28, deixa claro que intenções do ex-ministro de turismo, Henrique Eduardo Alves, não tiveram índole criminosa. Henrique Alves apoiou a liberação de patrocínio da OAS/ Arena das Dunas para alguns dos clubes de futebol potiguares que foram beneficiados.

Segundo nota, “não é justo que Henrique Eduardo Alves venha sendo acusado por um crime que, jamais cometeu”. Ainda encerra afirmando que “não podemos cometer os pecados da injustiça, da omissão e – muito menos – da covardia”.

Veja na íntegra nota lançada pelo clube:

Em respeito aos fatos, o ABC Futebol Clube esclarece que, em nenhum momento, o ex-ministro Henrique Eduardo Alves agiu de má fé ao colaborar com nossa agremiação para que fosse liberado patrocínio pela empresa controladora da Arena das Dunas.

O episódio ocorreu na gestão passada, mas não é justo que Henrique Eduardo Alves venha sendo acusado por um crime que, jamais cometeu. Ao contrário, agiu como homem público para que fosse repassada verba de um contrato que salvou, à época, as instituições de futebol do Rio Grande do Norte da falência.

Por diversas vezes , Henrique Eduardo Alves foi procurado pelo ABC Futebol Clube e colaborou buscando patrocínios que visavam a divulgação do Estado e o apoio a uma entidade cultural inegável como é o Mais Querido. Não apenas em relação ao ABC, mas a todos clubes e à Federação de Futebol.

Ao ABC, cabe comentar a parte em que é mencionado de forma equivocada, repondo a verdade e reconhecendo de público o esforço que o ex-ministro Henrique Eduardo Alves sempre demonstrou em favor do futebol do Rio Grande do Norte como desportista que sempre foi, sem qualquer proveito pessoal.

Não podemos cometer os pecados da injustiça, da omissão e – muito menos – da covardia.

Natal, 28 de junho de 2017

Judas Tadeu Gurgel
Presidente