BUSCAR
BUSCAR
Crime
Saiba evitar golpes virtuais relacionados com a Covid-19
Com o crescimento das transações digitais em razão da pandemia do novo coronavírus, vêm aumentando também as tentativas de invasão e acesso indevido aos dispositivos de cidadãos visando obter alguma vantagem; fraudes buscam explorar vulnerabilidades emocionais dos usuários, como os pedidos de ajuda para falsas entidades filantrópicas
Redação
16/07/2020 | 00:11

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) divulgou dicas para que as pessoas se protejam e evitem golpes pela internet que podem gerar prejuízos materiais. Com o crescimento das transações digitais em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19), vêm aumentando também as tentativas de invasão e acesso indevido aos dispositivos de cidadãos visando obter alguma vantagem indevida.

Durante a pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2) , golpes contra o consumidor crescem, principalmente por conta do aumento das compras on-line, que tiveram alta de 126,9% apenas em maio. Os criminosos utlizam de todo tipo de artifício para enganar as vítimas, como informações falsas e campanhas mentirosas de solidariedade.

Golpes mais comuns relacionados à Covid‑19

Falsos representantes de organizações de saúde. Os golpistas se passam por representantes do SUS, do Ministério da Saúde ou da OMS

Sites anunciam a venda de álcool gel, máscaras ou outros produtos e equipamentos muito procurados, mas a compra nunca chega.

Falsos representantes do governo. Alguns golpes prometem atualizações e pagamentos em nome da Caixa Econômica Federal ou do Governo Brasileiro.

Propostas financeiras fraudulentas. Os golpistas podem se passar por bancos, investidores ou credores com ofertas sofisticadas que têm o intuito de roubar dados bancários.

Falsos pedidos de doações para organizações não governamentais. Pedidos de doações relacionados à COVID‑19 para organizações não-governamentais, hospitais, ou mesmo para o SUS devem ser cuidadosamente verificados.

Como evitar os golpes mais comuns

Acesse os sites oficiais de organizações oficiais diretamente

Os criminosos, geralmente, fingem ser organizações oficiais, conhecidas e confiáveis. Visite diretamente fontes como o site do Ministério da Saúde ou da OMS para acessar as informações mais recentes sobre a COVID‑19.
Cuidado com pedidos de dados pessoais ou financeiros
TeleSUS no WhatsApp é Golpe: Não caia nessa(Abre numa nova aba do navegador)

Se receber um pedido não solicitado de informações, avalie cuidadosamente a mensagem. Os golpistas, muitas vezes, pedem que você digite suas senhas ou compartilhe dados bancários e endereços. Além disso, eles solicitam pagamentos por transferência bancária ou em moeda virtual.

Faça doações diretamente para as organizações não-governamentais
Alguns esquemas de fraude se aproveitam da boa vontade das pessoas, pedindo doações para iniciativas de combate à COVID‑19. Pesquise sobre a instituição na Internet para ter certeza de que ela seja legítima. Verifique, por exemplo, se ela é oficialmente registrada e tem um CNPJ.

Os autores destes golpes também fingem ser instituições de caridade. Para ter certeza de que seu dinheiro será enviado a uma organização real, faça a doação diretamente no site dela, em vez de clicar em um link que você recebeu.

Verifique cuidadosamente links e e-mails antes de clicar neles

Os links que você recebe podem ser falsos, imitando sites oficiais, mas com uma palavra ou letra extra. Se você receber uma mensagem do tipo “Clique aqui”, passe o cursor do mouse sobre o link ou toque no texto e segure para ver o URL e checar se não existe algum erro. Cuidado para não clicar nesses links. Erros ortográficos ou letras e números aleatórios no URL ou no endereço de e-mail podem ser indícios de fraude.

Busque informações sobre o remetente

Se alguém enviou uma mensagem fraudulenta a você, é provável que ela tenha sido enviada a outras pessoas. Copie o endereço de e-mail, o número de telefone ou a parte suspeita da mensagem e cole no campo de pesquisa do navegador para checar se existe alguma denúncia feita por outras pessoas.

Adicione um nível extra de segurança à sua conta

Para reforçar sua proteção on-line, adicione uma autenticação de dois fatores, também conhecida como verificação em duas etapas, às suas contas. Este recurso oferece uma camada extra de segurança, com duas etapas para acessar sua conta. Será solicitado, por exemplo, uma informação do seu conhecimento (sua senha) e algo físico a que você tenha acesso (seu smartphone ou uma chave de segurança).

Denuncie

Se perceber algo suspeito, denuncie. O site da SaferNet traz uma lista das delegacias especializadas nesse tipo de crime. Acesse: https://new.safernet.org.br/content/delegacias-cibercrimes

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.