BUSCAR
BUSCAR
Declaração
Relator pede cassação da deputada federal Flordelis: “Perigosa e manipuladora”
Leite citou laudo que aponta uma concentração de tiros na região pélvica de Anderson do Carmo, indício da participação da deputada no crime
Metrópoles
11/08/2021 | 16:04

O relator do processo contra a deputada Flordelis (PSD-RJ) no Conselho de Ética da Câmara, deputado Alexandre Leite (DEM-SP), apresentou, nesta quarta-feira 11, parecer a favor da cassação da parlamentar que é acusada de mandar matar seu marido, o pastor Anderson do Carmo, executado com 30 tiros em 2019.

Nesta tarde, a Câmara dos Deputados deu início à sessão para votar o processo de cassação de mandato da deputada.

O relator declarou que, durante todo processo, a deputada não apresentou nenhuma contraprova que pudesse contestar todas os indícios apurados pelo Conselho de Ética e pelo Ministério Público, que a acusa da autoria do crime.

Leite apresentou no plenário o laudo cadavérico que aponta uma concentração de tiros na região pélvica da vítima o que, de acordo com o a polícia, indicaria que Flordelis poderia ter participado ativamente da morte do marido.

“Não sou eu que vou dizer que a deputada puxou o gatilho”, disse o deputado.

“A vítima já havia parado de se contorcer, tiros estavam concentrados na região pélvica do pastor Anderson do Carmo”, disse.

“Concluo que a representada tem modo de vida e práticas de condutas não condizentes com que se espera de um representante do povo”, disse o relator.

“Sua personalidade generosa e religiosa foi descortinada e deu lugar a uma personalidade desvirtuada, perigosa e manipuladora”, declarou o relator.

Flordelis
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.