BUSCAR
BUSCAR
Declaração
Moraes é a “mentira em pessoa” e Barroso “mente descaradamente”, diz Bolsonaro
Em mais um embate entre Poderes, presidente sobe o tom contra o relator do inquérito das fake news e o chefe do Tribunal Superior Eleitoral
Metrópoles
05/08/2021 | 12:49

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a atacar o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, e o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, relator da investigação do inquérito das fake news.

Bolsonaro afirmou que Moraes é a “mentira em pessoa” e que Barroso “mente descaradamente”. Esse é mais um capítulo dos sucessivos embates entre Bolsonaro, judiciário e justiça eleitoral. No centro da crise está a segurança das urnas eletrônicas — criticada pelo chefe do Palácio do Planalto — e a defesa da volta do voto impresso.

As declarações foram dadas em entrevista à Rádio 93 FM Gospel, do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira 5 — veja a íntegra no fim da reportagem.

Bolsonaro reclamou que o ministro Alexandre de Moraes “acusa todo mundo de tudo para fazer operações”. E ameaçou o magistrado.

“A hora dele vai chegar. Ministro arbitrário, ditatorial, que aplica a lei para agredir a democracia e para atingir os seus objetivos. Ele me colocou como réu naquele inquérito fake news. Ele é a mentira em pessoa dentro do STF”, criticou.

Na quarta-feira 4, Alexandre de Moraes incluiu Bolsonaro na investigação para apurar a disseminação de notícias falsas. As decisão ocorreu após pedido de Barroso, chefe do TSE, e foram motivadas pelos repetidos ataques do chefe do Executivo às eleições e ao voto eletrônico.

Ataques a Barroso

Irritado, Bolsonaro voltou a criticar a postura de Barroso e questionou a condução do ministro à frente do TSE.

“Toda vez que alguém entra no computador ele deixa rastros. Tudo o que esse hacker fez, ele deixou rastros. Com o inquérito, o que o TSE fez? Apagou os ‘logs’ [que são os dados do hacker]. Obstrução da justiça, é crime. O TSE apagou todas as pegadas do hacker. Não existe mais acreditar no Barroso dizendo que as urnas são blindadas, é mentira! Mente descaradamente! O papel não vai para as mãos do eleitores, dentro da sala eleitoral”, frisou.

Durante a entrevista, o presidente defendeu a impressão do voto como uma medida para garantir a lisura das eleições e citou uma possível fraude, já desmentida TSE, na disputa entre a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e o atual deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG), no pleito de 2014.

“A urna não é aditável. Temos dois laudos, a Polícia Federal dizendo isso, ela não é aditável. O que você vê no final de uma apuração é que se você apertar o botão pra recontar, vai dar exatamente o mesmo número. Peritos internacionais foram contratados pelo PSDB”, afirmou.

Bolsonaro continuou: “Queremos voto democrático, transparência, saber que o voto vai para o candidato que você votou. Fiz live semana passada e o TSE rebatia a gente em tempo real, com fake news”, provocou.

Ele ainda defendeu o Brasil adotar o modelo de urna paraguaio. “Devemos colocar urnas adotadas no Paraguai, iguais as nossas, mas que tem um plug para impressora, você não bota a mão no papel. Contagem pública dos votos. Por que o Barroso joga todas as fichas contra esses votos? Obviamente que tem algum interesse”, finalizou.

Voto impresso

Bolsonaro demostrou confiança numa votação favorável. “Eu acredito que temos sucesso nessa empreitada. A grande maioria do povo já entendeu o que está em jogo. O povo tem que ser ouvido”, apostou.

A Câmara dos Deputados discute proposta de emenda à Constituição (PEC) para que, “na votação e apuração de eleições, plebiscitos e referendos, seja obrigatória a expedição de cédulas físicas, conferíveis pelo eleitor, a serem depositadas em urnas indevassáveis, para fins de auditoria”. O projeto é fortemente defendido pelo governo.

Sem votos favoráveis na comissão especial, a apreciação da PEC foi adiada por aliados de Bolsonaro para depois do recesso parlamentar e está prevista para ser votada nesta quinta-feira.

Bolsonaro finalizou com mais ataques. “Eleição [se referindo ao pleito de 2022] de carta marcada para eleger o ídolo do Barroso, Lula [ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva]”, endossou.

E acrescentou. “Fala que Barroso ama o PT, apoiou terroristas, é favorável ao aborto, liberação das drogas, estupro de vulnerável, contra a redução da maioridade penal. Muitos tem medo de criticar o Supremo porque eles têm tomado medidas que fogem da razoabilidade. Mantem preso o deputado que expressou liberdade de expressão [se referindo a Daniel Silveira], atacou.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.