BUSCAR
BUSCAR
Música
Mantras, melodias e calmaria: grupo musical canta aprendizagens no isolamento
Camomila Chá lança neste sábado 12 o segundo álbum autoral do grupo – que traz reflexões e aprendizados obtidos durante o período de isolamento social
Nathallya Macedo
11/09/2020 | 05:23

Em tempos de coronavírus, a realidade passou a ser incerta e, por vezes, assustadora. Manter o equilíbrio emocional é um desafio em momentos como o atual, mas também é uma atitude importante para evitar desgastes e aprender a lidar com o contexto de adversidades. Em uma profunda imersão acerca da resiliência humana, o grupo Camomila Chá lança o segundo álbum autoral, intitulado “Reconexão”.  

Para Camila Pedrassoli e Juliana Furtado, idealizadoras do Camomila Chá, o disco representa a necessidade de observar a essência de cada um em busca do estado de serenidade. Ao lado das convidadas especiais Tiquinha Rodrigues, Vitoria de Santi, Marie Gabriella, Bia Wolf e Ju Strassacapa, as artistas produziram seis faixas com letras de cantos sagrados e mantras que dialogam perfeitamente com o ciclo presente.  

Com distribuição da Rapport Produções, “Reconexão” será lançado virtualmente neste sábado 12 no Festival Camomila e estará disponível a partir do dia 16 de setembro em todas as plataformas digitais. Ao Agora RN, Camila e Juliana comentaram o processo de composição do novo trabalho. Confira:  

Agora RN – Como e o que motivou o surgimento do Camomila Chá? 

Camomila Chá – O projeto surgiu de uma vontade de compartilhar tudo o que acreditamos e experimentamos, como a música e a meditação, que proporcionam paz e boas energias. O nome da banda veio das propriedades benéficas da camomila, como a calmaria que ela traz. Quem nunca tomou um chá de camomila para relaxar? 

Agora RN – A proposta é diferente: vocês não fazem apenas músicas cantadas, mas sim mantras. Como é o processo de composição? 

Camomila Chá – O processo de composição acontece em momentos de conexão: as letras e as melodias são voltadas para possibilitar o autoconhecimento. Em algumas músicas utilizamos mantras que são conhecidos e que tem finalidade de cura, de paz, de amor, afim de tocar o coração das pessoas e deixar sentimentos bons reverberando em cada espaço. 

Agora RN – Recentemente, vocês lançaram os primeiros clipes. Como foram as gravações? 

Camomila Chá – Foi lindo e bem intenso. Escolhemos espaços abertos e uma equipe pequena para respeitar o distanciamento social. Os vídeos fazem parte de uma trilogia, que é especialidade da nossa diretora Larinha Dantas. “Ra Ma Da Sa” foi gravado na praia de Cotovelo, um lugar que amamos. “Tudo é Luz” foi filmado no jardim de Larinha Dantas e Gabriel Souto, com imagens da Marie Gabriella (que vieram de São Paulo e foram editadas aqui), assim como as imagens de Juliana Strassacapa e Bia Wolf para o clipe que encerra a sequência, o “Eu Vou Girando “, com takes feitos por Petala Lopes em um parque de SP. Desta forma, tivemos a energia dos elementos água, terra, fogo e ar, expondo a natureza em todos os vídeos.   

Agora RN – Qual é a principal mensagem que vocês desejam passar com o projeto? 

Camomila Chá – O “Reconexão” foi composto neste momento de reflexão que o ano de 2020 nos trouxe. Foi feito com muita sinceridade e vontade de compartilhar energia de amor. Acreditamos que a arte pode ajudar neste período de ansiedade que estamos vivendo, despertando ensinamentos e conectando nosso coração com a verdade do nosso ser.  

Agora RN – O que vocês planejam para o futuro? 

Camomila Chá  Esperamos pode fazer shows em breve, andar com este trabalho pelo país, promovendo uma cura universal através da música. Enquanto isso não é possível, seguiremos conectadas com os ouvintes pelas redes sociais. 

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.