BUSCAR
BUSCAR
Polêmica
Filhos de Cid Moreira atacam família da madrasta e querem provar golpe do baú
Herdeiros possuem duas novas testemunhas e uma delas denuncia a família Sampaio por formação de quadrilha, pois um irmão da madrasta teria depenado a sogra idosa
Notícias da TV
02/08/2021 | 09:20

A briga judicial iniciada pelos filhos de Cid Moreira, 93 anos, começa a ganhar novos capítulos. Rodrigo Radenzev Simões Moreira, 52, e Roger Felipe Naumtchyk Moreira, 45, encontraram aliados na luta contra Fátima Sampaio, 58. Os herdeiros anexaram duas novas testemunhas aos autos. Uma delas denuncia a família Sampaio por formação de quadrilha, pois um irmão da madrasta teria depenado a sogra idosa. Há também o depoimento de um ex-funcionário do veterano, que teria presenciado maus-tratos ao jornalista.

Há duas semanas, os filhos do ex-âncora do Jornal Nacional protocolaram uma ação de interdição contra o pai na Vara de Família e Registro Civil da Comarca de Petrópolis, no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Fátima, por sua vez, virou alvo de um inquérito policial no Ministério Público do Rio de Janeiro. Eles pedem a prisão preventiva da madrasta por considerarem que ela se apropriou dos bens do marido.

Entre quinta-feira 29 e sexta-feira 30, Angelo Carbone, advogado dos irmãos Moreira, enviou aditivos tanto ao MP-RJ quanto ao TJ-RJ sobre o caso. Nos autos, há o depoimento (em texto e áudio) de um ex-caseiro do veterano que denuncia uma agressão ao jornalista.

No outro documento, há o testemunho de um rapaz que relata supostas infrações de um irmão da madrasta dos filhos de Moreira. Segundo a acusação, esse parente de Fátima teria mantido a sogra idosa em cárcere privado e depenado seus bens.

A similaridade no comportamento dos irmãos fez o defensor dos herdeiros pedir que a família da companheira do apresentador seja investigada por formação de quadrilha. Na visão do advogado, eles agem com certa semelhança diante de pessoas vulneráveis.

O Notícias da TV teve acesso aos arquivos em que constam as queixas. Com a visibilidade do caso na imprensa, foi Roger quem recebeu a denúncia sobre o irmão de Fátima via redes sociais. O filho adotivo do comunicador foi procurado por um jovem de Minas Gerais, que contou a história de sua avó. Segundo ele, a anciã foi lesada pelo integrante da família Sampaio –a testemunha pediu para não ser identificada na imprensa.

No relato, o rapaz diz que o parente de Fátima fez “coisas bem parecidas” com a sogra de idade avançada. Em declaração enviada à Justiça, ele narra que a idosa era mantida dopada, tendo seus bens repassados para terceiros e com inúmeros empréstimos em seu nome. A vítima teria tido suas contas bancárias zeradas e seu patrimônio diluído. Sem contato com parentes, ela foi deixada em uma cama, sempre grogue. A família teria conseguido resgatar a matriarca após ela pedir socorro.

Com o surgimento dessa denúncia, o advogado dos irmãos Moreira levou à Justiça uma gravação de aproximadamente duas horas com a acusação de que Fátima e o irmão agem como quadrilha. “[O irmão] pratica o mesmo modus operandi: crimes em face de uma senhora idosa”, consta nos autos.

“Pelo visto existem outras vítimas que são escolhidas a dedo, moram em Estados distantes, para que não sejam os crimes ao idoso descobertos por semelhança ou comparados pelos conhecidos por parentes vizinhos ou conhecidos. Percebe-se que se trata de uma quadrilha. O fato de Fátima estar há anos com a vítima Cid demonstra que, enquanto não limpar tudo o que a vítima tem, eles [os integrantes da quadrilha] persistem”, diz a defesa.

“Rogo às autoridades que analisem e comparem os casos, que seja determinada a instauração de inquérito para apuração dessa nova ocorrência, que a família de Fátima seja também investigada. Nessa nova ocorrência, é o irmão dela que encabeça. Por tratar-se de crimes premeditados em Estados diversos, ver a possibilidade de uma investigação também junto a Polícia Federal”, solicita.

Ao MP-RJ, Roger e Rodrigo reforçaram o pedido de prisão de Fátima. Ao TJ-RJ, o advogado reiterou a solicitação de interdição do ex-funcionário da Globo, diante da possibilidade de ele ser alvo de uma quadrilha. Também é exigido que “seja determinada a transferência da guarda do idoso para os filhos como curadores ou que seja designado um expert judicial para tal fim”.

“Nota-se com clareza mediana que a família [o bando] se encosta no idoso, e só larga quando o mesmo está sem nada ou morre. Para que não sejam percebidos, agem em Estados distintos para que não seja possível constatação”, alerta em documento.

“No diálogo em que o neto [da vítima do irmão de Fátima] noticia o que a família de Maria de Fátima faz idêntico: pega a idosa, a separa dos filhos, dos netos, dos parentes, dos amigos e a mantém em cárcere privado. Dopa de remédios, pratica agressões, mantém a idosa na cama e a priva da visita dos parentes”, frisa.

À reportagem, Carbone, advogado dos irmãos Moreira, confirmou o andamento do caso com o surgimento de duas testemunhas. Para ele, o relato contra a família Sampaio estourou como uma “bomba”. “É uma quadrilha. O caso do irmão de Fátima é igual ao de Cid. Eles se encostam nas pessoas que têm idade e tiram tudo que elas têm”, observou.

A assessoria do ex-apresentador da Globo foi procurada para comentar o caso, mas não obteve retorno até o fechamento deste texto.

Entenda o caso

Há três semanas, Roger Felipe Naumtchyk Moreira concedeu entrevista para o A Hora da Venenosa, no Balanço Geral, sobre sua relação com o ex-âncora da Globo. Ele acusou o veterano de “deserdá-lo” ao ter seu nome retirado do testamento. Apesar da briga, a legislação brasileira não permite deserdar filhos. Por causa disso, há um ano e meio, ele entrou com ação na Justiça contra o comunicador, alegando abandono afetivo.

Rodrigo Radenzev Simões Moreira, por sua vez, apareceu na imprensa após o desabafo público do irmão, que nunca havia conhecido. Ele é fruto do casamento do locutor com Olga Verônica Radenzev Simões. Os dois ficaram juntos no início da década de 1970. Após a separação, a mãe teria tentado que pai e filho se reaproximassem, mas não teve sucesso.

Ao jornalístico da Record, o filho biológico do ex-Globo declarou nunca ter recebido afeto do pai. O herdeiro chegou a processá-lo em R$ 1 milhão por abandono afetivo, mas perdeu a ação e desistiu de ser amado e de ter uma ligação familiar com o ex-funcionário da Globo.

Rodrigo, que mora em São Paulo, e Roger, que reside no Rio de Janeiro, decidiram se unir após se conhecerem no A Hora da Venenosa. Desde então, criaram vínculos e, agora, partiram para a Justiça.

Em 20 de julho, os filhos do ex-âncora do Jornal Nacional protocolaram uma ação de interdição contra o pai na Vara de Família e Registro Civil da Comarca de Petrópolis, no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Fátima Sampaio, mulher do jornalista, por sua vez, é alvo na abertura de um inquérito policial no Ministério Público do Rio de Janeiro. Eles pedem a prisão preventiva da madrasta por considerarem que ela se apropriou dos bens do marido.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.