BUSCAR
BUSCAR
Esporte
Entre a piada e a polêmica, como Yasmin Brunet foi importante para o tri de Medina no Mundial de Surfe
Casal viveu rompimento com a família do surfista e e virou assunto nas redes após COB não autorizar ida de Yasmin para Tóquio
O Globo
15/09/2021 | 16:41

O amor venceu. Foi o que ficou claro nas declarações de Gabriel Medina após a conquista do tricampeonato mundial de surfe. A presença da esposa do surfista, Yasmin Brunet, – que foi vetada pelo COB em Tóquio – na etapa decisiva na Califórnia, e em toda a temporada da WSL, foi fundamental para o título do brasileiro, nas palavras dele.

Ao longo do ano, o casal se envolveu em polêmicas e até virou piada por causa dos Jogos Olímpicos. Medina sempre ressaltou que o apoio da mulher tem sido fundamental neste ano difícil pessoalmente. Ele dedicou o título a ela e ao treinador Andy King.

– Eu quero dedicar esse título a ela porque ela estava lá. Eu deixei minha zona de conforto e tive que virar um homem de verdade. Foi um grande desafio – disse.

O casamento com Yasmin, em janeiro deste ano, foi o principal motivo do afastamento de Medina da família. A mãe do surfista, Simone Medina, acusou a nora de ser controladora. Outros membros também romperam com ele. Até então, quem acompanhava o atleta nas etapas, cuidava da alimentação e do treinamento, era o seu padastro Charles. Após o tricampeonato, Simone postou fotos antigas do filho e comemorou o título com um recado: “Só foi possível porque o castelo tem alicerces fortes”.

Gabriel Medina na 2ª bateria da luta pelo título do WSL Finals, nesta terça (14), em Trestles, Califórnia, nos EUA Foto: Pat Nolan / World Surf League
Gabriel Medina na 2ª bateria da luta pelo título do WSL Finals, nesta terça (14), em Trestles, Califórnia, nos EUA Foto: Pat Nolan / World Surf League
Surfista se tornou o sexto atleta da história a ser pelo menos tricampeão mundial, e o primeiro brasileiro a atingir o feito Foto: Pat Nolan / Agência O Globo
Surfista se tornou o sexto atleta da história a ser pelo menos tricampeão mundial, e o primeiro brasileiro a atingir o feito Foto: Pat Nolan / Agência O Globo
Medina comemora a conquista do tricampeonato mundial. Ele venceu o companheiro Filipe Toledo na bateria decisiva por 2 a 0 e garantiu o título, repetindo os feitos de 2014 e 2018 Foto: Pat Nolan / Agência O Globo
Medina comemora a conquista do tricampeonato mundial. Ele venceu o companheiro Filipe Toledo na bateria decisiva por 2 a 0 e garantiu o título, repetindo os feitos de 2014 e 2018 Foto: Pat Nolan / Agência O Globo
Filipe Toledo em ação na 1ª bateria WSL Finals, em Trestles Foto: Pat Nolan / Agência O Globo
Filipe Toledo em ação na 1ª bateria WSL Finals, em Trestles Foto: Pat Nolan / Agência O Globo
Natural da praia de Maresias, no litoral paulista, Medina venceu seu primeiro título mundial em dezembro de 2014, no Havaí, onde repetiu o feito em 2018 Foto: Pat Nolan / Agência O Globo
Natural da praia de Maresias, no litoral paulista, Medina venceu seu primeiro título mundial em dezembro de 2014, no Havaí, onde repetiu o feito em 2018 Foto: Pat Nolan / Agência O Globo

Além da crise familiar, outra polêmica surgiu por causa da relação do casal. Medina, de última hora, escolheu Yasmin para ser o membro da equipe que o acompanharia em Tóquio. Devido à pandemia, apenas um integrante credenciado poderia viajar com o atleta. Na primeira lista enviada por Medina, o nome principal era do seu novo técnico Andy King, que substituiu o padastro.

O COB, porém, não aceitou o nome da esposa do surfista por ela não ter função técnica na equipe. A alegação foi rebatida pelo casal, que apontou outros casos de parentes ou amigos como membros das delegações. Medina justificou a ida de Yasmin por ela cuidar da sua alimentação – ele virou vegano após o casamento -, preparar os vídeos dos adversários e pelo apoio psicológico. Os motivos não convenceram.

O episódio virou motivo de piada e memes nas redes sociais. Por fim, Medina saiu sozinho do Brasil e admitiu que não estava indo 100% para a competição. Encontrou o técnico lá apenas. Ele caiu na semifinal para o japonês Kanoa Igarashi e perdeu a disputa pelo bronze.

O casal, no entanto, não se abalou com as críticas. Medina, inclusive, reconheceu o papel de Yasmin no seu sucesso na última etapa do campeonato. O backflip, que lhe garantiu a vitória na segunda bateria da WSL Finals contra Filipe Toledo, foi um pedido dela.

– A Yasmin ficou enchendo o saco a semana toda ‘Você tem que mandar o backflip, eu quero o 10’. O backflip foi especial. Eu senti o momento ali, era uma onda que eu tinha que arriscar para valer. Eu fui com a mentalidade de fazer o 10 na bateria, não veio, mas foi a manobra que ela me pediu. Então foi legal – revelou.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.