BUSCAR
BUSCAR
Exigente
Cliente exige que bar frite sapo como petisco e caso acaba em tiro no DF
Grupo de homens embriagados agrediu o funcionário do estabelecimento após este se recusar a preparar o anfíbio no local
Metrópoles
31/10/2020 | 16:51

Um grupo de homens protagonizou uma confusão que terminou em tiroteio, após uma tarde de bebedeira, em um bar de Brazlândia. Tudo aconteceu porque os rapazes agrediram o funcionário do estabelecimento que se recusou a preparar um sapo como petisco, a pedido dos clientes. O caso aconteceu na noite dessa quarta-feira 28.

Em depoimento prestado na 18ª Delegacia de Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) , o proprietário da loja disse que os homens já estavam há várias horas bebendo, quando um deles retornou do banheiro, pediu uma dose de cachaça e, em tom jocoso, jogou um sapo no balcão e pedido para o funcionário fritar. Após o trabalhador se recusar e pedir para que o animal fosse retirado, o homem teria mordido o anfíbio e questionado se teria de comê-lo cru.

A partir daí, os ânimos se exaltaram e, após xingamentos, uma confusão com trocas de chutes e socos teve início. Em desvantagem, o funcionário do estabelecimento apanhava, até que o dono do local apareceu e tentou separar a briga. Vendo que não teria sucesso, o elemento sacou uma arma de fogo e disparou em direção a porta, onde não havia ninguém, cessando a confusão.

Todos foram, então, encaminhados para a 18ª DP, que investiga o caso. Praticante de tiro e com posse de arma utilizada, o proprietário alegou legítima defesa para efetuar o disparo, dizendo que temia pelo pior para seu funcionário e que, “se quisesse, teria acertado” os arruaceiros.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.