BUSCAR
BUSCAR
Seca
União reconhece situação de emergência em 134 municípios do RN
Com a medida, as prefeituras e Governo do Estado podem solicitar recursos federais para auxiliar em obras e serviços para minimizar os efeitos da seca
Redação
06/06/2018 | 09:55

O Ministério da Integração Nacional reconheceu a situação de emergência em 134 cidades do Rio Grande do Norte. Com isso, as prefeituras e Governo do Estado podem solicitar recursos federais para auxiliar em obras e serviços para minimizar os efeitos da seca.

O Governo do Rio Grande do Norte publicou em março um decreto – pela 10ª vez consecutiva – sobre crise causada da estiagem. Ao todo, eram 153 cidades listadas, mas o Ministério da Integração Nacional reconheceu agora a emergência em 134 delas.

A partir de agora, os entes públicos do Rio Grande do Norte terão maior facilidade no trâmite dos processos para reduzir os impactos da seca, vivenciada pelos potiguares há 6 anos consecutivos, em razão das baixas precipitações pluviométricas.

Segundo os dados da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (SAPE), os prejuízos monetários decorrentes da escassez hídrica resultam em perda de receitas da ordem de mais de R$ 4 bilhões ao ano, o que representa uma redução superior a 50% na contribuição do setor rural para a formação do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado.

A comunicação de emergência evita atraso no reconhecimento federal e possibilita que haja nova liberação de recursos que ajudem na adoção de medidas que minimizem os efeitos da estiagem prolongada. Desde 2017 estão sendo empregados R$ 12,7 milhões pelo Ministério da Integração Nacional, para continuidade da Operação Vertente, que fornece água potável à população através de carros-pipa.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.