BUSCAR
BUSCAR
Preocupação
“Poderemos ter problemas sérios na cidade”, alerta secretário de Obras
Grande preocupação do secretário Tomaz Neto são as lagoas de captação espalhadas pela cidade, cujas bombas de drenagem podem falhar a qualquer momento
Boni Neto
03/04/2019 | 00:01

O secretário de Obras Públicas e Infraestrutura de Natal, Tomaz Neto, se mostrou receoso com o volume de chuva que vem caindo na cidade nas últimas semanas. Ele alertou para o fato de que quando o inverno chegar, a tendência é que a quantidade de água aumente. A grande preocupação do titular de Obras de Natal são as lagoas de captação espalhadas pela cidade.

Ao todo, o sistema de drenagem urbana da capital contas com 58 reservatórios de detenção. De acordo com Tomaz, 23 deles utilizam bombas para evitar transbordamentos, mas, como lembra o secretário, por serem mecanismo eletroeletrônicos, as bombas podem falhar. E se elas falharem, Tomaz Neto crê que Natal possa ter que enfrentar “sérios problemas”.

“Dependendo da força do inverno, poderemos ter problemas sérios na cidade. As bombas podem falhar a qualquer momento, principalmente por causa de atos de vandalismo, que têm sido um problema sério. O prazo para recuperar essas bombas danificadas é de 90 a 120 dias, porque a maior parte do material é importado da Alemanha. Por isso, corremos o risco de se o inverno for rigoroso, algumas dessas lagoas que usam bomba transbordem”, avaliou.

Além da tensão constante com uma possível falha das bombas, que são utilizadas por quase 40% das lagoas de captação da capital, o secretário lembra outro problema crítico e comum no período chuvoso: alagamentos. “Há muito problemas de obstrução de galerias por causa da presença de lixo domiciliar. Quando se bloqueia uma tubulação, se cria um foco traumático que causa grandes alagamentos”.

Um exemplo recente foi o que aconteceu na última segunda-feira, 1º, pela manhã. Graças ao volume de chuvas e à obstrução das galerias na Rua João Medeiros Filho, em Igapó, na zona Norte, um pedaço do calçamento da rua afundou nas proximidades do viaduto. “Essa situação pode ocorrer novamente pela cidade”, disse Tomaz Neto.

Desmoronamentos

O período invernal também traz a ameaça de desmoronamentos para bairros e comunidades cujas infraestruturas são deficientes. Por causa desse problema, os moradores da Comunidade do Jacó passam pelo drama de não saberem se algum dia voltarão a suas casas ou não.

Isto porque a Prefeitura do Natal determinou interdição parcial da área para demolição dos focos de risco. Frente a isso, a Justiça potiguar, contudo, determinou que a demolição dos imóveis fosse suspensa em virtude da necessidade de um estudo geológico e planimétrico para avaliar a possibilidade de recuperação, redução, eliminação ou contenção dos riscos existentes.

Defesa Civil na Comunidade do Jacó 70

“Fomos surpreendidos com essa decisão judicial que nos impede de continuar a retirar as pessoas que estão em risco na Comunidade do Jacó, mas vamos nos reunir novamente para o juiz para que possamos rever essa situação. Já há algum tempo que estamos nos reunindo com a Defesa Civil parar tratar dos pontos críticos da cidade, como Mãe Luiza e Igapó, que são passíveis de desmoronamento a qualquer momento. Estamos monitorando com o propósito de evitar perdas humanas”, finalizou o chefe da Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semov) de Natal.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.