BUSCAR
BUSCAR
Determinação
No Dia Internacional da Mulher, dois exemplos de obstinação e sucesso
Desembargadora Zeneide Bezerra e a delegada Paulla Maués falam dos desafios diários no exercício das suas atividades profissionais e de serem exemplos da participação feminina na sociedade civil
Redação
08/03/2019 | 11:00

Em 1979, quando soube da aprovação no concurso que lhe abriria as portas para a magistratura, a hoje desembargadora Zeneide Bezerra ainda tinha dúvida se realmente tomaria posse no cargo. “Afinal, era o que todo mundo perguntava naquela época”, lembra hoje em seu gabinete no Tribunal de Justiça.

Trinta anos depois, neste 8 de março, data em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, ela lembra com prazer: não só assumiu como juíza, como integra hoje um seleto grupo onde é uma das duas únicas representantes femininas a ocupar o topo de sua carreira. A outra vaga é da desembargadora Judite Nunes.

Zeneide Bezerra também não tem dúvida de que o caminho será tanto mais recompensador quando mais as mulheres investirem tempo e dedicação aos estudos, o único fator realmente capaz de distingui-las na vida.

“Vencido o desafio da educação, nada mais as conseguirá parar”, diz aquela que chegou lá graças os próprios méritos, vinda de origem humilde e que não se queixa dos homens, a quem distingue com um elogio: “eles são fundamentais para as mulheres”. Quinquagésima presidente a assumir a presidência do Tribunal Regional Eleitoral do RN desde a reinstalação dessa justiça especializada há 70 anos, a desembargadora não tem a menor dúvida: “Tudo que um homem pode, a gente também pode! Temos inteligência, somos detalhistas, temos força de trabalho”, acrescenta.

Que o diga uma mulher de outra geração, mas com os mesmos valores e a mesma obstinação.

Aos 38 anos, mãe de um menino e grávida de uma menina, a delegada Paoulla Maués é detentora de uma trajetória fulminante na profissão que escolheu desde muito cedo, apesar da desaprovação do pai. “Eu sempre quis ser delegada de polícia. Era o meu sonho desde criança”, diz sem pestanejar. Para conseguir seu objetivo, passou em dois concursos públicos em Pernambuco, seu Estado de origem, até chegar onde queria – ocupar de uma vez só, também por concurso, as delegacias de Santana do Matos, São Rafael e Bodó, na Serra de Santana.

De lá para cá, apenas cinco anos, Paoulla Maués, depois de um período como titular da Delegacia da Mulher de Parnamirim, assumiu em 2017 a presidência da Associação dos Delegados de Polícia Civil do RN (Adepol), onde tem feito um trabalho obstinado de revalorização da instituição, agredida por anos seguidos de contingenciamentos financeiros.

Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.