BUSCAR
BUSCAR
Meio ambiente
MPRN inicia ação para combater lixões irregulares nos municípios
Medida faz parte do projeto “Lixo Negociado”, que prevê o combate dos lixões irregulares em todo o Estado
Redação
14/11/2018 | 20:09

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) assinou termo de ajustamento de conduta com 47 cidades para adequações em lixões irregulares. As prefeituras têm até o fim do ano para adotar medidas para a destinação final de resíduos sólidos.

Segundo a promotora Mariana Barbalho, do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça do Meio Ambiente (CAOPMA), a medida faz parte do projeto “Lixo Negociado”, que prevê o combate dos lixões irregulares em todo o Estado. Atualmente, apenas 12 cidades potiguares dão a destinação correta aos resíduos urbanos domésticos.

“O projeto começou após diversas vistorias em lixões. Encontramos mais de 100 áreas de descarte irregular de resíduos sólidos”, conta a promotora. A iniciativa começou com 22 municípios da região Seridó e Oeste, mas já está se aproximando do Agreste e Litoral.

De acordo com a promotora, o consórcio dos municípios da região do Seridó tem R$ 22 milhões à disposição para a construção de um aterro sanitário. O recurso é oriundo do Governo Federal.

A expectativa do Ministério Público Estadual é fechar o ano com 50 cidades incluídas no projeto “Lixo Negociado”. As Promotorias de Justiça do Meio Ambiente iniciarão as fiscalizações nas cidades que participantes da iniciativa a partir do primeiro semestre de 2019. “Os municípios precisam adotar medidas para destinar de forma correta o lixo doméstico.
Os lixões precisam ser encerrados. Enquanto os aterros sanitários não forem construídos, as cidades terão de cercar os locais, impedir o fluxo de pessoas e construir valas para enterrar parte dos resíduos”, finaliza Mariana Barabalho.

Sede: Rua dos Caicós, 2305-D, Nossa Sra. de Nazaré. Natal/RN | CEP: 59060-700
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - [email protected]
Comercial: (84) 98117-1718 - [email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.