BUSCAR
BUSCAR
Luto Oficial
Moro lamenta 100 mil mortos e diz: ‘não podemos só falar #CemMilEDaí’
'São mais de 100 mil mortos; 100 mil famílias que perderam entes para a Covid. Que a ciência nos aponte caminhos e que a fé nos dê esperança', afirmou o ex-ministro.
CNN Brasil
08/08/2020 | 15:23

Após o Brasil chegar à marca de 100 mil mortes pelo novo coronavírus neste sábado (8), nomes importantes do mundo político se manifestaram sobre o fato. Pelo Twitter, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), disse que “hoje é um dos dias mais tristes da nossa história recente”, acrescentando que o Congresso decretou luto oficial de quatro dias em solidariedade a todos os brasileiros afetados pela pandemia e às vítimas.

O ex-ministro da Justiça Sergio Moro também postou no Twitter. “Não podemos nos conformar nem apenas dizer #CemMilEdaí. São mais de 100 mil mortos; 100 mil famílias que perderam entes para a Covid. Que a ciência nos aponte caminhos e que a fé nos dê esperança.”

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), citou a gestão do ex-ministro da Saúde Henrique Mandetta. “Chegamos hoje à absurda marca de 100 mil mortos pela Covid-19. Número que, infelizmente, já havia sido previsto lá atrás, ainda na gestão do ex-ministro Mandetta”, postou no Twitter.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, decretou luto pelas 100 mil mortes e assinou uma mensagem em nome do STF e do Poder Judiciário Nacional. “Jamais vivemos uma tragédia dessa dimensão em nosso país. São 100 mil pessoas que tinham um nome, uma profissão, projetos e sonhos.”

Na quinta-feira (6), o presidente Jair Bolsonaro comentou a iminente marca de 100 mil mortes no país provocadas pela pandemia do novo coronavírus. “A gente lamenta todas as mortes. Está chegando ao número 100 mil, talvez hoje… Vamos tocar a vida. Vamos tocar a vida e buscar uma forma de se safar desse problema”, disse na ocasião.

Av. Hermes da Fonseca, N° 384 - Petrópolis, Natal/RN - CEP: 59020-000
Redação: (84) 3027-1690
[email protected]
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.