Em Parnamirim
Estudantes conquistam ouro e prata nas Olimpíadas de Astronomia e Geografia
Gêmeas Sofia e Romana Galvão se preparam para participar de pelo menos, dez competições de conhecimentos em outubro, enquanto Leon se dedica à aprovação no IFRN
Assessoria de Imprensa
Gêmeas Sofia e Romana Galvão ganharam ouro em Geografia e Astronoimia

Um trio superpoderoso, heróis do conhecimento. As gêmeas Sofia e Romana Galvão e o aluno Leon Freitas, alunos do 9º ano na Escola Municipal Luiz Maranhão Filho, em Monte Castelo, conquistaram nesta semana, medalhas de ouro na Olimpíada Brasileira de Geografia. Saiu também o resultado da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astrofísica, na qual as gêmeas são ouro e Leon conquistou medalha de prata.

“O desempenho destes alunos mostra que é possível chegar onde se quer, pelo poder do conhecimento. Estamos orgulhosos em ver essa dedicação que resulta em conquistas inspiradoras para toda a rede de ensino. Parabéns a eles e aos seus professores, por esses excelentes resultados para a educação em Parnamirim”, disse o gestor Luiz Norberto, da Escola Municipal Prof. Luiz Maranhão Filho.

Ainda em meio ao sabor das recentes vitórias, as gêmeas Sofia e Romana Galvão se preparam para participar de pelo menos, dez competições de conhecimentos em outubro, enquanto Leon se dedica à aprovação no IFRN, já que todos estarão concluindo o 9º ano.

 AULAS + TEMPO NA INTERNET = MEDALHAS

Alguém já disse que conhecimento é poder, mas não é bem assim. O conhecimento pode ser destrutivo e inútil se não for bem conduzido e aproveitado. Sofia e Romana Galvão e o aluno Leon Freitas, sabem bem administrar todo o tempo que têm e os recursos da Internet para chegar a conquistas cada vez maiores pelo poder do conhecimento.

“Foram eles mesmos quem descobriram as Olimpíadas de Geografia na Internet e me procuraram para saber como poderiam participar. O nível dessas provas que acontecem por etapas on line é altíssimo, demanda uma profunda reflexão até mesmo para quem tem formação superior. É preciso muito foco e dedicação”, disse o professor de Geografia César Augusto.

Como resultado dessa dedicação, o trio superpoderoso “Equipe Trampolim da Vitória” , da Escola Luiz Maranhão Filho, ficou na classificação de número 34, entre os 189 medalhistas da Olimpíada de Geografia no RN. À frente deles na lista, só alunos de escolas privadas e federais. Ou seja, eles lideram o ranking entre os vencedores da escola pública.

Além da pesquisa na Internet, trinta alunos recebem aula de reforço aos sábados na Escola Luiz Maranhão, voltadas à capacitação para participação em olimpíadas, o que acaba auxiliando na preparação deles para cursar o ensino médio no IFRN, de acordo com o professor de Matemática, Cláudio Carvalho.

A professora Ana Patrícia Santiago exalta o bom desempenho das gêmeas medalhistas em Matemática. “Elas são alunas muito aplicadas, têm bom desempenho escolar não apenas em Matemática. Nossa proposta é tornar esta disciplina mais dinâmica, contextualizada e menos mecânica, permitindo que os alunos utilizem estes conhecimentos para os resultados que eles buscarem”, disse.

GARRA DE CAMPEÕES

Sofia e Romana Galvão, as gêmeas medalhistas. É assim que as pessoas começam a conhecer elas que são algumas das alunas-destaque da rede municipal de ensino público. Em um dos sucessos mais recentes, em maio passado, elas conquistaram medalhas de prata e de bronze, respectivamente, na Olimpíada Internacional Canguru de Matemática 2018.

Além disso, a medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas em 2016 também foi para Sofia Galvão. Ela participou da cerimônia para receber o prêmio no ano passado, no Rio de Janeiro. Em 2017, também foi ouro na OBA e prata na OBMEP, e nesta, sua irmã gêmea, Romana Galvão também foi medalha de bronze.

“Não há limites para o conhecimento, ele pode abrir as portas do mundo. É preciso manter o foco e organizar a rotina de estudos”, disse Sofia Galvão
O aluno Leon Freitas disse que foi se aproximando do universo das olimpíadas do conhecimento ao ver o desempenho das gêmeas medalhistas. Agora, ele mesmo é uma inspiração para que outros alunos também tenham os mesmos resultados ou até mesmo, superiores.

“Foi muito bom descobrir as olimpíadas do conhecimento e conquistar este ouro, progredindo no caminho do conhecimento. Que outros possam vir por ele, também”, encerrou o aluno Leon Freitas.