BUSCAR
BUSCAR
Tóqui 2020
Surfe estreia em Olimpíadas com Brasil favorito ao ouro e RN na torcida por Ítalo Ferreira
Com início marcado para este sábado, modalidade fará a sua estreia nos Jogos, e Brasil é favorito para subir ao pódio. Seleção terá , além do potiguar, Medina, Tatiana e Silvana
Redação
24/07/2021 | 09:08

A disputa do surfe nos Jogos Olímpicos de Tóquio terá início neste sábado, e o Brasil desponta como favorito na modalidade. As chances de um ouro chegar para brasileiros são altas, mas, no Rio Grande do Norte, é a estreia do atual campeão mundial de surfe, Ítalo Ferreira, que está empolgando a torcida. O potiguar tem no currículo uma vitória no ISA Games em 2019, que foi disputado no Japão (mas em outra praia) e quer repetir a dose a partir de hoje. Completam o time Brasil Gabriel Medina, no masculino, e Silvana Lima e Tatiana Weston-Webb, no feminino.

“Estou ansioso sim, mas deu para aproveitar um pouco mais as últimas semanas para ficar com a família e surfar em casa. No segundo semestre tudo pode mudar, pois além da Olimpíada tem a reta final do Circuito Mundial. Então, treinei pesado e acho que alcancei o auge da forma física e mental”, afirmou ele, diretamente do Japão, em entrevista para o Estadão.

Sobre a disputa com o atual número 1 do ranking mundial, Gabriel Medina, Ítalo revela não o perceber como um problema. “A mente é o maior problema”, assinala. “Se tiver os dois brasileiros na final, na disputa pela medalha de ouro, seria incrível. Mas quero ganhar, sair com o melhor resultado possível. A chance de poder representar o País nos Jogos é incrível”, revela.

O surfe olímpico, ocorrerá na praia de Tsurigasaki, que fica a cerca de 100 quilômetros de Tóquio, apresenta um modelo diferente da WSL, a World Surf League (WSL). Por conta da disputa longe de Tóquio, os surfistas não estão na Vila Olímpica com as demais delegações, mas sim em uma pousada próxima de Tsurigasaki.

Com um total de 40 atletas divididos para masculino e feminino, onde disputarão uma classificatória no primeiro round com cinco baterias, uma repescagem no segundo round com duas baterias e, por fim, um mata-mata com baterias mano-a-mano até a decisão das medalhas.

ROUND 1

No primeiro round do surf olímpico, os 20 atletas irão disputadas cinco baterias de quatro surfistas. Os dois primeiros colocados de cada bateria avançarão para o terceiro round da competição, enquanto os dois últimos irão para a repescagem no segundo round.

ROUND 2

A repescagem do segundo round será composta de duas baterias com cinco atletas em cada uma. Nela, os três melhores de cada bateria serão classificados para o terceiro e último round da competição, enquanto os dois últimos serão eliminados da Olimpíada.

ROUND 3

No terceiro e último round do surfe, os 16 atletas remanescentes na competição disputarão as fases de mata-mata, em que baterias mano-a-mano decidirão os medalhistas olímpicos do masculino e feminino.

COMO FUNCIONAM AS PROVAS?

Cada bateria terá duração de 30 minutos e, ao contrário do Circuito Mundial, elas não serão seguidas uma da outra. Entre as baterias, alguns minutos serão utilizados para apresentar os surfistas.

No soar da buzina, os atletas podem surfar um número indeterminado de ondas, mas apenas as duas melhores serão levadas em conta. Cada onda surfada receberá uma nota de 0 à 10 dos cinco jurados presentes. A maior e a menor nota são descartadas e, por fim, as tres notas restantes são somadas e divididas por três, com o valor de sua média sendo a nota final do surfista.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.