BUSCAR
BUSCAR
Energias renováveis
Instituto SENAI impulsiona a indústria de energia limpa no Brasil
Centro é referência no Brasil em pesquisa aplicada, tecnologias e inovação voltada para energia eólica e solar, atuando em serviços a partir de demandas apresentadas por diferentes elos da cadeia produtiva; são soluções que prometem catapultar a sustentabilidade do país com redução de custos e mais energias limpas
Redação
18/06/2021 | 09:11

O Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis (ISI-ER) foi oficialmente inaugurado no Rio Grande do Norte como “impulso à competitividade brasileira” e com perspectivas no horizonte de “duplicar, triplicar a carteira de projetos com indústrias do setor”, segundo o diretor do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial no estado (SENAI-RN), Emerson da Cunha Batista.

“Iniciamos com quatro laboratórios principais implantados especialmente para atender as demandas dessas indústrias e à medida que novos projetos forem se incorporando ao Instituto, a perspectiva é de crescimento cada vez maior”, disse ele. “Em dois anos, em que já atuávamos antes da solenidade de inauguração oficial, formamos uma carteira de R$ 20 milhões em projetos e essa carteira poderá duplicar, triplicar ao longo dos anos à medida em que formos fortalecendo o Instituto e em que o setor também for avançando”, acrescentou ainda.

Principal referência do SENAI no Brasil para pesquisa, desenvolvimento e inovação para as indústrias de energia eólica e solar, o ISI-ER atua no desenvolvimento de pesquisas aplicadas, de tecnologias e serviços a partir de demandas apresentadas por diferentes elos da cadeia produtiva.

São soluções que, segundo lideranças empresariais e políticas que participaram da inauguração, prometem “catapultar a sustentabilidade do país, com redução de custos, mais eficiência e geração de energias limpas”.

O evento de inauguração marcou a conclusão das instalações e o início da operação plena dos laboratórios no “Dia Mundial do Vento”, comemorado em 15 de junho para reforçar a importância da energia eólica. A transmissão da cerimônia está disponível no YouTube, no canal HIT – Hub de Inovação e Tecnologia.

Soluções

O presidente do Conselho Regional do SENAI-RN e do Sistema FIERN, Amaro Sales de Araújo, ressaltou na inauguração que “a criação do ISI-ER tem o objetivo de tornar as indústrias mais competitivas, com produtos diferenciados, independentemente do porte que elas tenham”.

“O Rio Grande do Norte é líder nacional na geração de energia eólica, tem os maiores players do setor instalados em seu território, e no campo da energia solar, também tem muito espaço para crescimento”, frisou ele, acrescentando que “o ISI-ER vem apoiar empresas não só do estado, mas de todo o Brasil, trazendo o que há de mais moderno para agregação de valor, capacidade de discutir e transformar projetos que antes tinham gargalos, agora em soluções”.

Mercado

A carteira de projetos com serviços já contratados ao Instituto ultrapassa R$ 20 milhões e a expectativa é que o valor avance pelo menos 50% até o final do ano. A estimativa de expansão se baseia nas perspectivas de crescimento do setor e do avanço das energias renováveis na matriz energética brasileira.

“Parcerias voltadas à instalação e evolução dessa indústria encontram-se firmadas ou em contatos avançados com empresas e instituições nacionais e estrangeiras de peso”, disse o diretor regional do SENAI RN, Emerson Batista.
A governadora Fátima Bezerra, presente à cerimônia, destacou que o Instituto também vem atuando junto ao governo, como entidade executora da elaboração do Atlas eólico e solar do Rio Grande do Norte, um projeto que está em curso e deverá apresentar até o próximo ano um mapeamento completo sobre o potencial de geração de energia eólica e solar em diferentes áreas do estado, como uma espécie de guia para atuais e futuros investidores.

“A chegada do ISI-ER só vem fortalecer cada vez mais esse mercado tão promissor. Esse Instituto significa tecnologia de ponta para que possamos avançar cada vez mais na produção das energias, trazendo desenvolvimento e geração de empregos”, analisou ela, afirmando que o Rio Grande do Norte tem assegurados, até 2026, ao menos R$ 7 bilhões em investimentos em energia eólica e R$ 2,3 bilhões em energia solar fotovoltaica.

O prefeito de Natal, Álvaro Dias, avaliou a inauguração do Instituto em Natal como “momento ímpar na história” e como “um projeto de grande alcance social e desenvolvimentista”. “Se nós sonhávamos com esse tipo de energia, renovável, agora temos essa realidade e o Instituto chega para contribuir com esse progresso”, disse.

Impulso

Em vídeo exibido na cerimônia, o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, também ressaltou que o ISI-ER vai contribuir para a expansão das energias renováveis na matriz energética nacional, com o desenvolvimento da indústria potiguar e da indústria brasileira. “A unidade”, lembrou ele, “faz parte do conjunto de 60 Institutos de Tecnologia e 27 Institutos de Inovação mantidos pelo SENAI no Brasil, que formam a maior rede de pesquisa aplicada da América Latina – e cujos resultados mostram que o SENAI vem se consolidando como aliado decisivo para o Brasil dar um salto tecnológico”.

Entre os diferenciais do ISI-ER, um dos destaques é o Túnel de Vento, primeiro laboratório do Brasil projetado para atender a demanda da indústria eólica. O início da operação comercial do laboratório permitirá reduzir em pelo menos 3 meses o tempo de logística que as empresas gastam atualmente para realizar serviços no exterior, em países como Alemanha e Espanha, explica o coordenador do ISI-ER, Antônio Medeiros.

O Túnel de Vento integra o chamado “Laboratório de energia eólica” e se soma a laboratórios nas áreas de energia solar e de sustentabilidade do Instituto.

Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.