BUSCAR
BUSCAR
Desafio
Fátima Bezerra: “Herdamos uma tragédia. R$ 1 bilhão em salários atrasados e vamos quitar”
Governadora Fátima Bezerra afirma que herança financeira pesada dificultou investimentos em outras áreas para priorizar pagamento dos servidores
Alessandra Bernardo
14/09/2021 | 08:10

“Uma verdadeira tragédia, só de folhas salariais atrasadas, herdamos uma dívida de quase R$ 1 bilhão, e tínhamos apenas R$ 3 milhões nos cofres do Estado e vamos quitar tudo”, afirmou a governadora Fátima Bezerra (PT), ao revelar como recebeu o governo do Estado em janeiro de 2019. Em entrevista à TV Ponta Negra nesta segunda-feira (13), ela falou como a gestão conseguiu contornar os problemas herdados e as medidas adotadas para isso, os investimentos em segurança pública, sua percepção sobre a CPI da Covid da Assembleia Legislativa e a política nacional.

Fátima afirmou que o Estado quitará a dívida bilionária com recursos próprios, levantados após a adoção de medidas austeras, como corte de despesas consideradas supérfluas, revisão de contratos e diárias e criação do Comitê de Gestão e Eficiência, que inclui profissionais das áreas de economia, planejamento, tributação e administração, além do Gabinete Civil e Procuradoria Geral do Estado (PGE).

“Isso é gestão, com foco, planejamento e uma equipe competente e de sensibilidade social. Tivemos medidas duras, mas garantimos que não tivesse demissão de servidores ou aumento da carga tributária. Sem repasse federal, pois o que o governo federal fez em 2020 foi compensar as perdas que Estados e municípios tiveram em função da pandemia.

Afirmou que a última parcela do 13º salário de 2018, prevista para novembro, foi antecipada para esse mês e que o 13º deste ano, bem como a folha de dezembro de 2018, serão pagos a partir de janeiro próximo. “Palavra dada é palavra cumprida. Hoje, o servidor público potiguar tem seu calendário de pagamento, inclusive das folhas que restam. Se fomos capazes, com recursos próprios e com pandemia, de conseguirmos R$ 1 bilhão para pagar as dívidas da gestão anterior, imagine em uma segunda gestão, o quanto podemos ampliar a capacidade de investimentos. Imagine se não tivéssemos encontrado essa dívida, se tivéssemos usando esses recursos para investir em outras áreas?”, questionou.

Fátima ressaltou o trabalho de recuperação da capacidade de investimento do Rio Grande do Norte, com a modernização das políticas de incentivos fiscais, o Programa de Estímulo ao Desenvolvimento Industrial do RN (Proedi) , o regime especial para o setor de serviços, políticas de recuperação fiscal, recuperação da dívida ativa e o Programa de Recuperação Fiscal (Refis). Citou ainda que o RN será o primeiro estado brasileiro a instalar um parque eólico offshore no mar, um investimento de R$ 18 bilhões e expectativa de geração de cinco mil empregos.

Avaliação da CPI da Covid

“O Governo não tem absolutamente nada a temer, está pronto para prestar os esclarecimentos necessários. O Governo está muito tranquilo da licitude dos atos, sabemos da honestidade da nossa equipe, somos transparentes”, disse a governadora, sobre a CPI da Covid. Ela explicou ainda que, referente ao imbróglio dos respiradores, o Estado acionou a Justiça para reaver os recursos e reparar o prejuízo sofrido pelo Consórcio Nordeste.

“É preciso levar em consideração que o enfrentamento da pandemia se deu em um contexto de emergência sanitária. O que você faria no meu lugar? Naquele momento não tinha respirador nenhum. Sabe quando o governo federal mandou os respiradores? Em junho, mas já tinha gente precisando de respirador em março. Fizemos o contrato de boa-fé, levamos um calote e todas as providências estão em âmbito judicial para reaver o prejuízo que o Estado teve com o calote”, falou.

Fátima disse também que foram adotadas medidas sanitárias duras, muitas vezes incompreendidas, mas que tinham que ser feitas por causa da transmissibilidade da doença. E destacou o trabalho dos servidores da saúde. “Quero expressar minha gratidão aos servidores da linha de frente, quantas vidas foram salvas graças ao trabalho e abnegação deles no enfrentamento à pandemia? Montar toda aquela rede assistencial, em meio à crise de desabastecimento de remédios, insumos e materiais, equipamentos e até de pessoal, todo o estresse e exaustão que viveram”.

Investimentos em segurança pública

Questionada sobre a crise na segurança pública potiguar, Fátima respondeu: “Temos feito muitos investimentos em segurança pública, com melhorias nas condições de trabalho, aquisição de equipamentos, viaturas, instrumentos e nomeação de mais de mil policiais militares até o momento e outras 299 para 2022, concurso público para Polícia Civil, Instituto Técnico Científico de Polícia (Itep) e Corpo de Bombeiros, além de mais de oito mil promoções na área. Isso tem tido resultado, porque o RN não é mais o Estado que aparecia como o mais violento do país, conseguimos reduzir, mas ainda temos o que avançar”.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Sede: Av. Hermes da Fonseca, 384 – Petropolis – Natal – RN – Cep. 59020-000
Telefone: (84) 3027-1690 / 3027-4415
Redação: (84) 98117-5384 - redacao@agorarn.com.br
Comercial: (84) 98117-1718 - publica@agorarn.com.br
Copyright Grupo Agora RN. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização prévia.